Psicólogo afirma que sacerdócio atrai psicopatas



Segundo pesquisa do psicólogo Kevin Dutton, da Universidade de Oxford, Reino Unido, os psicopatas são pessoas essencialmente frias, egocêntricas, manipuladoras, impulsivas e antissociais. E os que sofrem dessa psicopatia tem predileção por algumas profissões. Em geral são cargos que exigem tomadas de decisões e com isso satisfazem a maior necessidade dos psicopatas: poder.
O doutor Dutton compilou suas descobertas em um livro chamado The Wisdom of Psychopaths: What Saints, Spies, and Serial Killers Can Teach Us About Success [A Sabedoria dos Psicopatas: O que santos, espiões e assassinos em série podem nos ensinar sobre o sucesso]. Lançado no final do ano passado, o livro tem gerado polêmica por suas afirmações.
Ele apresenta uma breve lista das profissões que parecem atrair mais psicopatas. Em primeiro lugar vêm os presidentes de empresas, o que pode ser comprovado por muita gente. Mas a presença de lideres religiosos no “top ten” irritou muita gente nos EUA. Segundo Kevin Dutton, os psicopatas preferem as seguintes profissões:
1. Presidentes de empresa (CEOs)
2. Advogados
3. Profissional de rádio e tevê
4. Vendedor
5. Cirurgião
6. Jornalista
7. Policial
8. Sacerdotes (pastores e padres)
9. Chef de cozinha
10. Funcionários públicos
Por outro lado, cargos que exigem mais aproximação, sem oferecer status ou poder, tendem a afastar esse tipo de pessoa. Eis a lista das profissões menos procuradas por psicopatas.
1. Cuidador de idosos
2. Enfermeira/o
3. Terapeuta
4. Artesã/ão
5. Estilista
6. Voluntário
7. Professor/a
8. Artista
9. Médico (exceto cirurgiões)
10. Contador
O doutor Kevin Dutton explica que existe uma escala de “loucura”, onde todo mundo poderia se enquadrar.  Porém, seu objetivo é analisar os chamados “psicopatas funcionais”. Ou seja, não significa que todos os que ele classifica como psicopata são assassinos frios, mas revelam um comportamento que  realmente os ajuda a terem sucesso. Acima de tudo, o autocontrole é o que se destaca no perfil das pessoas estudadas por Dutton. Além disso, eles lidam melhor com sentimentos básicos como medo e tristeza.
Dutton desenvolve sua teoria de que a sociedade atual como um todo valoriza mais os psicopatas do que nunca. Afinal, pessoas com esse perfil tendem a ser destemidas, confiantes, carismáticas, e focadas, qualidades altamente valorizadas no século XXI.  O psicólogo afirma que fez dezenas de exames e tratou centenas de pessoas antes de tentar estabelecer o que caracteriza, de fato, um psicopata perigoso para a sociedade. Segundo ele, cerca de 10% da população nasce com alguma forma de psicopatia. Com informações Guardian e Huffington Post.

Comentários

Mensagens populares