Igreja “anti-Facebook” atrai atenção nas redes sociais

Igreja “anti-Facebook” atrai atenção nas redes sociaisO Facebook faz mal para a vida espiritual? Um vídeo que está ganhando fama na internet nos últimos dias mostra que existem igrejas realmente preocupadas com o assunto.
Durante o louvor em um templo nos Estados Unidos, o grupo de louvor entoou um “hino diferente”, que de forma bem-humorada faz críticas aos cristãos que passam tempo demais na rede social.
Embora seja uma gravação de baixa qualidade, feita em um celular, é possível identificar quase tudo que é cantado. Entre a mensagem repetida durante dois minutos pelas mulheres do coral, um cantor/pregador pede: “Keep Yo Business Off of Facebook”.
O arranjo é típico das igrejas de negros norte-americanas, e pelo sotaque é possível deduzir que é em algum lugar do Sul do país. Os fiéis batem palmas, enquanto cantam sobre os perigos de se usar a rede social.
A letra é bastante repetitiva, mas a mensagem é clara “As coisas que você diz, achando que ninguém vai descobrir!  Aquelas fotos que você posta, precisa parar com isso, porque de muitas Deus não gosta! Todo domingo age como um crente mas seus comentários no Facebook dizem que você mente!” [em tradução livre].
O vídeo foi postado no início deste mês e recebeu muita atenção, chegando a mais de 200.000 acessos nos dois canais em que foi postado. Nos últimos dias foi matéria da rede CNN e de vários sites que tem colunas sobre cristianismo.  Quem gravou o vídeo e onde fica a igreja, até agora, permanecem um mistério. Mas a polêmica é grande.
Curiosamente, grande parte do sucesso do vídeo é por causa dos compartilhamentos no próprio Facebook. Enquanto alguns comentaristas no YouTube reclamam que na igreja só podem ser cantadas músicas de louvor a Deus, muitos dizem que é bom ver um pouco de bom humor no culto.
“Onde está o respeito com Jesus como? Pode até ser engraçado, mas no meio do culto deveríamos falar sobre Jesus, não o que as pessoas postam no Facebook”, escreveu uma mulher.
“Esta igreja é uma desgraça”, disparou outro comentarista, classificando a canção de “blasfema”.  Há quem tenha dito que se trata da “igreja antiFacebookiana”.
Muitos questionam se o vídeo é realmente em uma igreja ou se trata de algo ensaiado. Até o momento não há maiores detalhes, mas o fato é que o assunto não é preocupação apenas daquela igreja.

Comentários

Mensagens populares