Sé do Funchal alvo de restauro - Ilha da Madeira

O retábulo da Capela-Mor da sé do Funchal será restaurado, com o projecto a avançar «imediatamente», no que se referem aos estudos científicos para o início da obra propriamente dita, em Setembro e por um período de nove meses. Ontem, a Secretaria Regional de Educação e Cultura e a World Monuments Fund-Portugal assinaram o protocolo que define um novo trabalho em conjunto, numa parceria estabelecida em 2001 e da qual foram já feitas várias intervenções na Sé. O protocolo ontem assinado por Francisco Fernandes e por José Blanco estipula que, entre a DRAC e a WMF-Portugal, é desenvolvida uma colaboração que «inclui, por um lado, estudos científicos sobre o retábulo a ser restaurado com vista à elaboração de um caderno de encargos para a intervenção que será feita de imediato, e por outro lado, os custos do restauro». Assim, explicou João Henrique Silva, o acordo define que o projecto é financiado por partes iguais pelo Governo Regional e pela WMF, num total previsto de 310 mil euros. O director regional dos Assuntos Culturais divulgou ainda que «já este mês, virá uma equipa do Instituto José Figueiredo desenvolver alguns estudos e análises sobre o retábulo. Prevê-se que, em Setembro próximo, possamos iniciar as obras de intervenção». O secretário regional de Educação e Cultura salientou, por seu turno, a importância do restauro de mais uma parcela da Sé Catedral, um edifício histórico marcante da vida e da cultura madeirense. O governante destacou o aspecto de o restauro realizar-se no próprio local, evitando-se a deslocação do Retábulo, e que seria «um risco que não valia a pena tomar». Francisco Fernandes divulgou que «o espaço suscita outro tipo de intervenções, das quais já conversamos» com WMF, parceiro determinante para a realização das obras de restauro da Sé. «Sem este apoio não seria possível», reconheceu o responsável, convicto de que a colaboração entre as duas entidades vai continuar no futuro. Da parte da WMF-Portugal, o seu presidente, José Blanco, filho de uma madeirense, apontou a sua satisfação por poder colaborar em mais uma salvaguarda de «um património tão importante como é a Sé do Funchal». O responsável deixou a garantia de que «vamos usar, neste projecto, todas as cautelas que se impõem numa coisa tão importante e delicada como é o restauro deste retábulo», mantendo o seu original valor. «Os madeirenses devem estar orgulhosos por este objecto de enorme valor e de identidade portuguesa que representa esta Sé». Refira-se que, à margem da cerimónia de assinatura do protocolo João Henrique Silva salientou à agência Lusa que, nos últimos dois mandatos, foram investidos cerca de quatro milhões de euros na recuperação do património, nomeadamente na Sé do Funchal, na Igreja do Colégio e no Convento de Santa Clara.

Comentários

Mensagens populares