Contagem decrescente para a abertura da aldeia dos presépios

Em Garfe, na Povoa de Lanhoso, já se respira Natal. A população deita mãos ao trabalho para fazer centenas de figuras, umas em tamanho real, outras em miniatura, dando vida a 15 presépios que invadem a freguesia.

Quase 200 pessoas, de várias idades, trabalham na construção. “Dá muito trabalho. Porque há presépios que se aproveitam do ano anterior, mas a maior parte parte-se do zero sempre”, explica o pároco Luís Peixoto, acrescentado que nunca há um presépio igual.
É assim há 12 anos. A iniciativa permite à aldeia destacar-se no mapa da quadra festiva.
“No ano passado e há dois anos, penso que mais de 50 mil pessoas passaram por Garfe. Há dias em que quase não se anda”, descreve.

Nesta competição “não há guerras”, garante o pároco, explicando que todos têm o mesmo prémio: uma missa no próprio presépio.
Trata-se de uma competição saudável, onde o segredo continua a ser a alma da surpresa, até porque, conta o padre da freguesia, “ninguém imagina, nem sabe o que vai parecer”.
“Nem eu sei. O presépio da escola ainda não vi. Os pequenos não contam”, remata.
Os 15 presépios são desvendados a 15 de Dezembro e podem ser vistos até à véspera do Dia de Reis.

Comentários

Mensagens populares