Igreja católica sugere estudo sobre feitiçaria

Os bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé recomendaram esta semana um estudo multidisciplinar entre antropólogos, psicólogos, sociólogos e teólogos a fim de se determinar a base cultural que origina o fenómeno de crianças acusadas de feitiçaria continua em algumas dioceses do norte do país.
O comunicado de imprensa produzido no final da II Assembleia Geral da CEST é referido que os participantes reconheceram “alguma dinâmica de crescimento nas capitais provinciais e municipais mas lamentaram a “inoperatividade” de muitos equipamentos sociais montados nas sedes municipais, comunais e aldeias.
“Após o relato sobre a profanação ocorrida no Santuário da Muxima, os Bispos solidarizam-se com o Bispo de Viana e com todos os cristãos de Angola que se revêm na devoção à Mamã Muxima, tendo repudiado e condenado veementemente tal acção que mancha e contraria os preceitos do Evangelho, do respeito e da convivência pacífica”, refere o comunicado.
Os prelados renovaram a solidariedade para com os concidadãos que ainda se encontram sob o flagelo da fome e sede no sul do país, tendo reiterado o apelo no sentido de se continuar com a campanha de apoio a seu favor e assumiram o compromisso de prestarem maior atenção a este seguimento da Pastoral, solicitando maior envolvimento por parte dos agentes de pastoral.
os Bispos recomendam a todos os fiéis maior formação espiritual e às autoridades maior atenção e controlo dos movimentos religiosos pelas consequências sociais e culturais que podem descaracterizar a sociedade angolana face ao que é descrito como “ameaças à fé católica.” Durante o encontro a direcção da Rádio Ecclesia que informou sobre o desempenho financeiro e sobre os desenvolvimentos dos assuntos referentes à Rádio enquanto o secretariado da Comissão Episcopal da Educação que relatou as actividades realizadas ao longo do ano e as conclusões das Assembleias das Escolas Católicas realizadas nas dioceses de Cabinda e Benguela.

Comentários

Mensagens populares