Igreja que prega “cura pela fé” causa polêmica ao proibir medicamentos

Igreja que prega “cura pela fé” causa polêmica ao proibir medicamentosPara muitos, o ministério Followers of Christ [Seguidores de Cristo], é uma seita herege. Para seus seguidores, eles apenas pregam o que a Bíblia diz sobre o poder da fé.
A maior controvérsia está no ensinamento de seus líderes de que o cristão não deveria tomar remédios, apenas orar quando está enfermo e “se apossar” da cura pela fé.
Com sede no Estado de Idaho, EUA, o nome da Followers já apareceu nos jornais e TVs várias vezes quando algum de seus membros, ou os filhos deles, morriam sem ter procurado auxílio médico. A questão é seguidamente debatida nos EUA, por conta de vários episódios similares. Em agosto, uma igreja do Texas pastoreada pela filha e o cunhado do famoso televangelista Kenneth Copeland teve várias mortes por causa de um surto de sarampo.
Nas igrejas ligadas ao Followers of Christ, somente em Idaho e no Estado vizinho do Oregon, foram cerca de 10 mortes nos últimos dois anos. Há desde uma menina que viveu apenas 20 minutos por que sua mãe não quis fazer acompanhamento pré-natal, passando por um menino que morreu de pneumonia com apenas 6 dias de vida, até adultos que faleceram por diferentes doenças comumente tratadas com medicamentos. Algumas famílias já perderam mais de um membro em situações desse tipo.
Mark Jerome, avô da menina que morreu prematura por que sua mãe não fez exames de pré-natal, disse não se arrepender da decisão da família. Ele afirma que continua crendo na cura pela fé. ”Essa é a nossa maneira de crer em Deus. Ele sabe como lidar com cada situação”.
Sally e Dan Sevy, que perderam dois filhos, não gostam de falar sobre isso. Procurados por repórteres de uma emissora local, Dan disparou “Eu gostaria de lembrá-los que este país foi fundado sobre a liberdade religiosa. Vocês não entendem toda a história, e eu não vou ficar na frente de uma câmera e contar-lhes tudo que aconteceu… Tudo o que vejo é uma campanha agressiva contra o cristianismo. Não consigo acreditar, é incrível que nos dias de hoje a imprensa protege os muçulmanos e ataca os cristãos”.
Os tribunais americanos já condenaram várias vezes à prisão pais que se negaram a oferecer atendimento médico aos filhos que morreram por causa disso. O caso mais recente é a prisão de Travis e Wenona Rossiter, condenados por “homicídio culposo”. O casal está na cadeia e perdeu a guarda dos outros filhos.
Linda Martin é uma ex-membro da Followers of Christ. Ela frequenta outra igreja, mas faz críticas fortes ao movimento: “Todo mundo ouve falar sobre o que acontece nessas igrejas… São muito rígidas, são inflexíveis e muitas chegam a ser cruéis. A maior parte do que acontece com os membros não é divulgado. Ninguém pode contar o que está acontecendo com as pessoas”. Segundo ela, existem dezenas de igrejas que seguem a mesma linha, mas não soube precisar quantas de fato são ligadas ao Followers.
Existe um movimento nacional, que conta com apoio de várias denominações, para que o Estado tome medidas mais rígidas, mas quase sempre se esbarra em alguma questão legal. Como nos Estados Unidos cada Estado segue uma legislação, menos de 10 deles levam adiante o processo quando ocorre esse tipo de acusação. A questão da liberdade de crença é quase um tabu nos EUA, onde os casos mais conhecidos são os ligados aos Testemunhas de Jeová que não aceitam doação de sangue, transplante de órgãos nem alguns tipos de cirurgia.  Com informações de Religion News Blog e Katu.

Comentários

Mensagens populares