Pastor Saeed Abedini corre perigo de vida depois de der transferido para outra prisão mais perigosa

Pastor Saeed AbediniO pastor Saeed Abedini está em grave perigo depois que ele foi abrutamente transferido da prisão de Ervin em Tehran para a prisão de Rajai Shahr em Karaj, onde ele será mantido em uma enfermaria com criminosos violentos. As informações são do Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ) que solicitou ao presidente Obama tomar uma ação imediata para salvar sua vida.

“Este desenvolvimento novo e extremamente perigoso requer atenção total e focus do presidente Obama. Ele deve se pronunciar agora – diretamente e com força – para salvar a vida do pastor Saeed. A vida do pastor Saeed está em grave perigo”, disse o ACLJ, que está representando sua esposa e filhos nos Estados Unidos, em um comunicado segunda-feira.
Abedini, um cidadão americano que foi preso cerca de um ano atrás e condenado a oito anos de prisão por causa de sua fé cristã, estava servindo seu tempo na prisão de Ervin, com outros presos políticos. Uma campanha internacional pedindo sua libertação foi apoiada por Obama, que já conversou com o presidente do Irã, Hassan Rouhani sobre o assunto.
O grupo legal confirmou nesta segunda-feira, no entanto, que os membros da família de Abedini no Irã, revelaram que ele foi transferido para a prisão de Rajai Shahr. Não foi encontrada nenhuma explicação para tal decisão de mudança até o momento.
“A transferência inexplicável e abrupta vem à medida que o tumulto se intensifica dentro do Irã, onde o sentimento anti-americano esteve em plena exibição hoje. Adversários radicais do alcance histórico do presidente Rouhani aos Estados Unidos tomaram as ruas para marcar o aniversário da tomada da embaixada dos Estados Unidos no Irã em 1979”, escreveu o ACLJ.
“Nos protestos de hoje, as multidões gritavam ‘morte à América’ – direta oposição à promessa de moderação do presidente Rouhani.”
As condições duras dentro de Rajai Shahr foram expostas em 2005 pelo diplomata holandês Bijen da embaixada em Teerã, que escreveu:
“Rajai Shahr é o lugar onde prisioneiros políticos que são vistos como um incômodo, são mantidos. Ir para Karaj é uma punição severa. Uma vez lá a pessoa pára de ser um ser humano. A pessoa é retirada da vista de todos, mesmo dos ativistas de direitos humanos e da imprensa. In Rajai Shahr, prisioneiros políticos tem que compartir as celas com criminosos perigosos como assassinos, estupradores, viciados em drogas que não hesitam em atacar seus companheiros de cela. Eles não tem nada a perder: muitos deles estão condenados à morte de qualquer maneira. Assassinatos ou mortes inexplicáveis são uma ocorrência regular.”
O Irã parecia estar se movendo em direção a liberar um número de presos políticos nos últimos dois meses, o que, inicialmente, aumentou as esperanças de que o pastor dos EUA fosse também liberado. Mas o diretor legal internacional do ACLJ Tiffany N. Barrans disse ao The Christian Post na semana passada que até o momento não há uma reposta direta de Rouhani.
“O que sabemos é que depois que o presidente dos Estados Unidos levantou a questão e o parlamento europeu, um corpo político representando 28 países, clama publicamente pela libertação do pastor Saeed, que o Irã não pode mais alegar ignorância. A bola está no campo iraniano e é hora do Irã responder à multidão de vozes que clamam pela libertação imediata do pastor Saeed,” disse Barrans ao CP previamente.
O ACLJ disse que cabe ao Obama tomar medidas imediatas e fazer todo o possível para salvar a vida de Abedini. A nova petição foi iniciada para isso, tendo sido assinada por mais de 11.000 pessoas a partir de segunda-feira à tarde.

Comentários

Mensagens populares