“Superprofeta” visita o Brasil e alerta para invasão de insetos no país

“Superprofeta” visita o Brasil e alerta para invasão de insetos no paísO pastor David Owuor já foi chamado de “profeta da chuva” e de “superprofeta” por ter anunciado grandes tragédias, como os furações Katrina e Irene, que destruiu parte dos Estados Unidos, além do terremoto que, em 2010, devastou o Haiti, meses antes de ocorrerem. Na África é conhecido por “chamar” a chuva com suas orações.
“Em alguns eventos ele orou para chover e choveu. O mais conhecido foi em 2011, na Nigéria. Dez dias antes de uma conferência que faria, David começou a noticiar que haveria uma chuva na data. Ele registrou isso. Gravou em uma rádio local e colocou no Youtube. Era um período de seca. No dia da conferência foi uma grande multidão e, durante o evento, com sol escaldante e céu brilhante, choveu forte por mais de uma hora”, explica o pastor Gladiston Amorim, 51 anos, do Ministério Atos de Justiça.
Ele coordenou a primeira vinda de David ao Brasil assegurando que “em nível de ofício profético talvez não exista outro”. Acrescenta que Owour tem um ministério de milagres, tendo testemunhos gravados de paralíticos, cegos, surdos mudos, leprosos e portadores de HIV.
Sempre vestido de roupas brancas e com sua característica barba comprida, Owur largou uma bem sucedida carreira de cientista médico para pregar o evangelho.  Esta semana ele foi o destaque na “Conferência de Arrependimento e Santidade – A preparação para a vinda do Messias”, evento evangélicos em Campo Grande.
Marcada para os dias 25 e 26 de março, no Parque das Nações Indígenas, a cruzada reuniu cerca de 10 mil pessoas.
Os organizadores afirmam que 50 igrejas evangélicas e 138 pastores do Mato Grosso do Sul se mobilizaram durante os últimos meses para preparar a vinda de Owuor.  Ontem foi o encerramento de sua visita ao país.  Ela já passou este mês por São Paulo e Rio de Janeiro, mas em eventos fechados, apenas para pastores.
Nas duas cidades, ele profetizou uma “invasão” de insetos no Brasil. O bispo Carlos Ferreira, 55, explica: “Ele falou que vem uma grande nuvem de insetos, que vai tomar conta das casas, caso a Igreja, as pessoas, que não se arrependam. Isso pode ser literalmente uma praga ou uma tragédia como consequência do pecado. É melhor não facilitar”.
No continente africano, o pastor Owur já levou essa mensagem a outros países. Mas ele também trouxe uma boa notícia. Segundo o material divulgado, o profeta anunciou que a igreja, “no Brasil, já está preparada para um avivamento, um grande despertar”.
Alaíde Santana Lopes, de 75 anos, que foi de São Paulo até Campo Grande apenas para a conferência, disse que essa é a mensagem que o povo precisa ouvir: “Espero que o Brasil realmente se arrependa, a começar pelas esferas federal, estadual e municipal, porque Deus está voltando”.
Mesmo sabendo das críticas que receberia, inclusive de evangélicos, o bispo Ferreira explica que o evento teve “um grande diferencial”: o fato de Owuor não cobrar nada. “Deus o mandou e o povo de Campo Grande não pode deixar de receber essa unção… Ele paga a despesa dele e da equipe. Não recebe oferta e não cobra nada, porque tem uma mensagem para entregar. Ele paga para trazer essa mensagem”, ressalta.Com informações Campo Grande News.
Via gospel prime

Comentários

Mensagens populares