Brasileiros infiéis acreditam que Deus perdoa casos extraconjugais

Brasileiros infiéis acreditam que Deus perdoa casos extraconjugais
Pesquisa mostra que para usuários de site de infidelidade o perdão de Deus é menos importante que o perdão do cônjuge
O site Victoria Milan, voltado para casados que desejam ter relações extraconjugais, realizou uma pesquisa com brasileiros infiéis para saber qual a relação deles com a religião.
O resultado da pesquisa, feita com 3.544 pessoas, mostra que 82% deles são cristãos e que a maioria acredita que Deus perdoaria a traição se tiver “uma boa causa” para ser infiel.
Foram 76% dos entrevistados que disseram sim para a pergunta: “Acredita que Deus perdoa casos extraconjugais, caso ocorram por uma boa razão/causa?”. Somente 24% disse que não.
Outra pergunta respondida pelos usuários do site questionava se um envolvimento maior com a religião faria com que a pessoa deixasse de trair, 88% disse que não, 12% que sim.
Mas apesar dessa confissão, apenas 9% dos entrevistados disseram que o cristianismo é a religião de pessoas infiéis, 45% disseram que não e 46% assinalou que os cristãos não são mais infiéis que os demais religiosos.
“A nossa pesquisa nos mostra que o cristianismo não é visto como sendo uma religião promíscua, pelo menos não mais do que outra religião qualquer, embora os cristãos priorizem o impacto da infidelidade no seu cônjuge em detrimento daquele que é causado na sua fé”, disse Sigurd Vedal, fundador do site.
Os usuários também se mostraram mais preocupados com o perdão do cônjuge (54%) do que com o perdão de Deus (46%). “Eles acreditam veemente que Deus perdoaria sua infidelidade, enquanto a vontade do parceiro não parece igualmente benevolente”, opinou o criador do Victoria Milan. Com informações O Tempo

Comentários

Mensagens populares