Vidente se dizer perseguida por membros da IURD


Vidente se dizer perseguida por membros da IURD

A igreja teria pintando o muro apagando os anúncios dos trabalhos por ela realizados
Uma vidente de Goiânia está acusando membros da Igreja Universal do Reino de Deus de arrancarem a imagem da Nossa Senhora de Aparecida da porta de sua casa. Tânia Aparecida, mais conhecida como irmã Nathalia, denuncia seus novos vizinhos dizendo que eles praticam o crime de intolerância religiosa.
“Há menos de uma semana, esta igreja se instalou ao lado do meu consultório. Desde então, faltam o respeito comigo. Se já não bastasse entrar na minha propriedade e pintar minha parede sem permissão, ainda destruíram a imagem de Nossa Senhora de Aparecida”, disse a vidente ao jornal Diário da Manhã.
Segundo ela no último domingo (25) de janeiro a Igreja Universal pintou a parede do prédio e invadiu a parte dela apagando a propaganda dos seus trabalhos como vidente. “Há mais de 30 anos moro nesta casa. Criei meus filhos aqui”, lamenta.
A vidente afirma sofrer com os vizinhos, que além de não respeitar sua crença e seus espaços, também não respeitam os limites das calçadas e estão colocando o lixo da igreja na entrada da casa de Tânia.
“Eles colocam sacos de lixos na porta da minha casa, já pedi para que não fizessem isso, mas não adiantou. Quando tento conversar com eles (pastores) para chegarmos a um acordo de convivência, me olham com discriminação. Igual cão raivoso. Penso que evangélico deveria ser mais educado, mais irmão. Jesus não pregava o ódio, mas o amor entre as criaturas”.
O jornal Diário da Manhã tentou conversar com os pastores da IURD, o pastor Diego que estava presente preferiu não responder usando o direito do silêncio, assim como outros pastores e membros da denominação que escolheram não se manifestar sobre o caso.

Comentários

Mensagens populares