expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Seguidores

sábado, 25 de abril de 2015

Santo Sudário de Turim volta a ser exposto ao público


O icônico Santo Sudário de Turim, que acredita-se ter sido o manto que cobriu o corpo de Jesus, está em exposição na catedral da cidade do norte da Itália desde domingo. Esperando a veneração do Papa Francisco, cuja visita está prevista para junho, muitos peregrinos e devotos estão chegando à cidade para ver ao vivo o impressionante pano de linho de 4,4 metros.

O Sudário de Turim volta a estar em exposição pública na catedral da cidade italiana, após uma pausa de cinco anos.
    
O pano de 4,4 metros de comprimento, estará em exposição até 24 de Junho.
    
As Exibições são gratuitas, mas devem ser marcadas com antecedência. Um milhão de pessoas já se inscreveram.
    
Alguns devotos acreditam que o sudário é o pano de enterro de Jesus Cristo. Os cépticos apontam para datação por carbono que sugere que é uma falsificação medieval a partir do ano 1300.
    
Os cientistas não chegaram a acordo sobre a forma como a imagem de um homem foi impressa no pano, e continua a ser um Grande Mistério.
    
Papa Francisco estará entre aqueles que vão visitar o Sudário, durante uma visita à cidade do norte da Itália, em 21 de Junho.
    
As últimas exibições públicas foram em 2010, quando 2,5 milhões de pessoas vieram para vê-lo.
    
A Igreja não afirmou oficialmente que o corpo de Cristo foi envolto na mortalha, preferindo, em vez disso se concentrar no que significa para os que a vêem.
    
"Se você acredita ou não acredita, não há dúvida de que é algo especial", um homem italiano que estava entre os primeiros visitantes no domingo, disse à agência de notícias AFP.
    
No início desta semana, o arcebispo de Turim Cesare Nosiglia disse: "O que mais conta é que esta mortalha ... reflecte de uma forma clara e precisa, como os evangelhos descrevem a paixão e morte de Jesus.
    
"Não é uma profissão de fé, porque não é um objecto de fé, nem de devoção, mas pode ajudar a fé."
    
Arcebispo Nosiglia disse que muitas das pessoas que vêm para ver o Sudário seria repatriados/ retornados.
    
"Isso significa que há uma necessidade fundamental no coração das pessoas para renovar esta incrível experiência que tiveram na primeira vez que o viram", disse ele.
    
"Mesmo os não-crentes virão. É uma ocasião que traz todos a estar juntos. "
    

O sudário é exibido em um caso de clima controlado, durante 12 horas por dia na Catedral de São João Batista de Turim.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário...

Ciencia

Ciencia