Fóssil de cobra com 4 patas retoma debate sobre veracidade da Bíblia

Descoberta de paleontóloga reabre discussão sobre a "maldição" de Gênesis 3
Todas as vezes que os críticos falam sobre a veracidade dos relatos bíblicos, o Livro de Génesis é quase sempre o mais atacado.
Contudo, uma descoberta revelada pela conceituada revista “Science” nesta semana reacende o debate sobre o quanto se pode aceitar a ideia de uma cobra com patas.
"Tenha em conta que tanto a Serpente / Satanás- Inimigo e também o Dragão ou Besta, novamente se refere ao Demónio inimigo do  homem, não são mais que um alegoria, para o entendimento do povo, precisamos entender que certas coisas nem tem razão nem margem para duvidas ou discussões hediondas, as pessoas é que gostam de complicar querendo por tudo em estado físico quando não o é... Já agora alguém alguma vez viu uma cobra que fala-se e oferecesse maçãs??"
O fóssil de uma nova espécie de cobra que inegavelmente tinha quatro patas e teria vivido no Brasil é a primeira que se tem notícia. Segundo os cientistas, ela viveu na Bacia do Araripe, no Ceará, há cerca de 120 milhões de anos.
O artigo da Science foi assinado por David M. Martill, paleontólogo da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, com a colaboração de Helmut Tischlinger e Nicholas Longrich.
A espécie foi batizada de Tetrapodophis amplectus. “O fóssil faz parte de uma exposição maior de fósseis do período Cretáceo”, disse Martill em um comunicado. “Ficou claro que ninguém tinha apreciado a sua importância, mas quando eu a vi, sabia que era um espécime extremamente significativo.”
Embora fósseis de cobras com pernas tivessem sido encontrados antes, sempre eram duas patas malformadas. Este é o primeiro exemplar de uma cobra com quatro patas funcionais.
Durante centenas de anos, os defensores do criacionismo alegavam que com a maldição o animal sofreu uma mudança em sua estrutura. Agora, parece que essa hipótese não era totalmente sem fundamento. Com informações de National Geographic

Comentários

Mensagens populares