Cartas de Lucifer descodificadas

Amigos, quem pensa que irá lera aqui, as cartas, está como eu, triste ...não estão disponíveis...

Cientistas italianos decifram uma carta antiga do século XVII escrita pelo demônio através das mãos da Venerável Irmã Maria Crocifissa da Conceição, irmã de São José Maria Tomasi.


https://2.bp.blogspot.com/-8t4W0Knapi0/Wbk7u-Kd2jI/AAAAAAAAhwk/ngP0BaRX2RIxNqlM7XfsmRcJFlxO2yjIwCLcBGAs/s640/CATHOLICVS-Carta-del-diablo-Maria-Crocifissa-della-Concezione-Letter-from-the-Devil.jpg



Retrato da Venerável Sor Maria da Conceição (à esquerda). A "Carta do Diabo" (à direita)

A "Carta do Diabo" é uma carta escrita em caracteres incompreensíveis que foi mantida por mais de três séculos no mosteiro clausurado de Palma di Montechiaro, em Agrigento, na Sicília (Itália).
Esta carta foi escrita por uma freira beneditina no século XVII, enquanto possuída pelo diabo. Ela é Irmã Maria Crucificada da Conceição - Mary Crocifissa da Concezione -, declarada Venerável pelo Papa Pío VI e enterrada no mosteiro. Ela era irmã de São José Maria Tomasi, reformador italiano da Ordem dos Teatinos, beatificado pelo papa Pio VII em 1803 e canonizado por São João Paulo II em 1986.
Embora muitas pessoas tenham tentado decifrá-la ao longo dos séculos, ninguém foi bem-sucedido, sem ter sido capaz de revelar seu conteúdo porque foi escrita com um código secreto. Ninguém ... até agora. Finalmente, ela foi decriptografada graças ao uso de software descodificador descoberto na "tela escura".

https://3.bp.blogspot.com/-B36M-81Gx5Q/Wbk9Vv9ljEI/AAAAAAAAhw4/IteGIl5m5ZcJjTYfLw0xXwZd_0ncz7JAACLcBGAs/s640/CATHOLICVS-Monasterio-Palma-Montechiaro-Monastery.jpg

video




Mosteiro beneditino de Palma di Montechiaro, Agrigento, Sicília (Itália).
A carta foi escrita em 1676 por Ir. María Crucificada da Conceição - no século, Isabella Tomasi, que afirmou que era uma mensagem do diabo, escrita pelo próprio Satanás usando suas mãos. O demônio pessoalmente pediu-lhe para assinar, mas a freira, depois de ter entendido o conteúdo, escreveu apenas "Ohimè" - que poderia ser traduzido como: "Ai de mim!
Uma manhã em 1676, Isabella Tomasi (1645-1690), que entrou no convento beneditino de Palma di Montechiaro aos 15 anos, tomando o nome de Irmã Maria Crucifixa della Concezione, apareceu coberta de tinta com a misteriosa carta na frente dela e dizendo ao resto das irmãs que ela tinha sido possuída por Satanás, que a forçou a escrever a mensagem.
Os religiosos insistiram em que eram truques de Lucifer para convencê-la a servir o mal e não a Deus. Foi acreditada pelo resto das freiras, mas nem elas nem as gerações de freiras que vieram depois conseguiram decifrar o código secreto da carta mantida no convento desde então.
https://1.bp.blogspot.com/-bTdx4Q8zcCU/Wbk8RWvipMI/AAAAAAAAhws/krxTlw-bMLoiEMhXRvRB-5BY3M8IeZYMwCLcBGAs/s640/CATHOLICVS-Carta-del-diablo-Letter-from-the-Devil.jpg

Na imagem, uma das cópias que sobreviveram ao passar do tempo.
Durante muito tempo, esta carta despertou em vão o interesse dos estudiosos, uma vez que o idioma utilizado era totalmente desconhecido - embora algumas palavras pareciam ser gregas e árabes, escreve o escritor Giuseppe Tomasi de Lampedusa em sua novela "O leopardo". Tendo ido ao mosteiro em 1955, ele ficou tão impressionado que queria incluir este episódio no romance, mas escondendo a figura da irmã Crucifixa, que ele reflectia no carácter do "Beato Corbera". Esta história também é mencionada no documentário "La Sicilia del leopard", de Ugo Gregoretti, que também mostra a carta.
Quase três séculos e meio depois de escrever a carta, um grupo de cientistas italianos conseguiu decifrar o código secreto usando um programa de software de descodificação que eles encontraram na web escura, descobrindo que realmente trazia uma mensagem diabólica. A freira nunca poderia ter feito esse código sozinha.
De acordo com o jornal britânico "The Times" (ver aqui), a equipe de cientistas pertencentes ao Ludum Science Center da cidade de Catania na Sicília (Itália) usou um algoritmo que eles encontraram na web escura para decifrar a carta :
"Nós ouvimos falar sobre o software, que acreditamos que é usado pelos serviços de inteligência para quebrar códigos", disse Daniele Abate, diretor do centro. "Nós adicionamos ao software grego antigo, árabe, o alfabeto rúnico e o latim para usá-los como substitutos das letras, e assim provar que [a carta] é realmente diabólica", disse ele.
O pesquisador acrescentou que inúmeras seitas satanicas interessadas na carta estiveram em contato com ele quase imediatamente após a publicação da investigação, da qual ele escondeu alguns detalhes.
O grupo de trabalho conseguiu traduzir várias linhas da carta, cujo conteúdo é sobre a relação entre os seres humanos, Deus e Satanás. Nela pode-se ler que "Deus foi inventado pelo homem" e se refere à Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, como "pesos mortos". Também diz que "Deus pensa que pode libertar mortais" e que "esse sistema não funciona para ninguém".

Comentários

Mensagens populares