Estudante obriga escola dos EUA a retirar banner com oração através de ação na justiça

Jessica AhlquistUma estudante dos Estados Unidos ganhou uma ação, aberta em 2012, que obrigou sua escola na cidade de Cranston a remover um banner de oito metros de um auditório, por exibir um pedido dirigido a Deus através de uma oração. O banner já estava no auditório há cerca de 50 anos.

Para substituir o banner, a Cranston West High School colocou um novo mural, que agora cobre a parede do auditório da escola com uma mensagem motivacional, mas sem qualquer referência a Deus ou à religião.
Ao processar a escola, a estudante Jessica Ahlquist argumentou que o banner representava uma quebra da constituição norte-americana, já que fere as leis do país por gerar conflitos de Igreja e Estado em uma escola pública.
A ação movida contra a escola foi executada em conjunto com a União Americana pelas Liberdades Civis (American Civil Liberties Union), organização não-governamental (ONG) norte-americana voltada em defender os direitos individuais de cidadãos dos Estados Unidos.
A decisão na justiça não agradou a população local, caracterizada por seu envolvimento com o catolicismo, que além de repelir Ahlquist, exigiu que a escola tomasse a iniciativa de entrar com um recurso.
Apesar da insatisfação das pessoas, o distrito escolhar achou melhor não recorrer da decisão do juíz Ronald R. Lagueux, para evitar custos excessivos e uma desgastante batalha judicial, que poderia se estender por muito tempo.
Donald Fox, um ex-aluno da Cranston West, opinou sobre o processo em depoimento ao New York Times e apontou que a retirada do banner foi um equívoco, pois trazia uma orientação positiva aos alunos que não se ligava apenas à religião.
"O banner com a oração defendia nada mais do que os valores que todos nós esperamos que nossos filhos tenham, não importa qual escola frequentem ou que formação religiosa eles possuam", destaca Fox.

Comentários

Mensagens populares