Portugal prepara-se para ser sede do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade

Portugal prepara-se para ser sede do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade (OMCC) entre 2014 e 2017, ano em que se celebra o centenário do nascimento do seu fundador.
“Curiosamente Eduardo Bonnín, fundador do Movimento dos Cursilhos de Cristandade, nasceu em 1917, no ano em que os pastorinhos de Fátima fizeram aquela grande experiência da revelação da Cova da Iria. Por isso, em 2017 haverá um grande encontro mundial, em maio, no centenário daquele que é o pioneiro dos cursilhos”, revela à Agência ECCLESIA o cónego Francisco Senra Coelho, assistente espiritual do movimento em Portugal.
O sacerdote considera ter sido este o contexto para Portugal ter sido escolhido como sede do OMCC.
Em Portugal o MCC, sediado em Fátima, tem 120 mil cursilhistas, e para o cónego Francisco Senra Coelho “será um grande desafio responder à expectativa mundial de celebrar o centenário [do nascimento] do fundador”.
Portugal vai estar presente no VII encontro do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade que vai decorrer em Brisbane, Austrália, de 20 a 24 de novembro, onde será apresentado como novo comité executivo.
O OMCC é uma estrutura rotativa que percorre os cinco continentes de quatro em quatro anos: atualmente está na Austrália, depois será Portugal e já esteve, por exemplo, em Toronto (Canadá), Caracas (Venezuela) e Seul (Coreia do Sul).
Este organismo mundial é reconhecido pelo Conselho Pontifício para os Leigos e conta com quatro grupos de coordenação e reflexão – europeu, latino-americano, língua inglesa e da Ásia-Pacifico - que trabalham com os secretariados nacionais e diocesanos e compete ao bispo diocesano que o receba na sua diocese dar-lhe “lugar e plenitude canónica”, informa o cónego Francisco Senra Coelho.
O comité designado pelo Secretariado Nacional do MCC assumirá funções no dia 1 de janeiro de 2014.
O MCC terá também a responsabilidade de manter o movimento “unido e ligado ao carisma permitindo e fomentando uma atualização na fidelidade” para além da publicação do “grande livro” com as “ideias fundamentais” que orientam mundialmente os cursos de cristandade e que está em “fase final de revisão”, informa o responsável.
O primeiro Cursilho de Cristandade realizou-se em 1944, em Cala Figuera, Espanha, num contexto específico de pós guerra civil espanhola [1936-1939], em plena II Guerra Mundial [1939-1945] e um grupo de cristãos leigos “predispõe-se” com um líder, Eduardo Bonnín, “a evangelizar uma Espanha em cinzas e uma Europa a necessitar um reencontro com ideais”, explica o entrevistado que encontra “semelhanças e paralelos” com a atualidade.
“Hoje sentimos os desafios à nova evangelização, os desafios de um tempo novo onde os leigos são chamados a testemunhar fortemente a sua fé. Os cursilhos de cristandade como movimento do primeiro anúncio, o anúncio daquilo que é o fundamental cristão de um modo jubiloso e a partir do testemunho de vida está na ordem do dia porque aquilo que se põe hoje antes de tudo é a experiência da fé”, considera o cónego Francisco Senra Coelho.
O fundador dos Cursilhos de Cristandade, Eduardo Bonnín, faleceu em Espanha com 90 anos, em 2008.
O MCC chegou a Portugal em 1960 e o primeiro Cursilho realizou-se em Fátima, de 29 de novembro a 02 de dezembro desse ano.

Comentários

Mensagens populares