LUGARES DE ARREPIAR EM PORTUGAL

E, se na tua próxima viagem, em vez de optares por lugares encantadores e paradisíacos, escolhesses sítios inóspitos e cheios de suspense e mistério? O Espalha-Factos encontrou vários locais de arrepiar e em Portugal existem mais histórias de fantasmas do que aquilo que parece à primeira vista.
Há várias lendas e histórias ligadas a vários lugares em Portugal. Se são reais ou se não passam apenas de histórias vindas do imaginário popular, ninguém sabe. Mas certo é que certas histórias continuam intrinsecamente ligadas a certos lugares mesmo depois de terem sido abandonados. O Espalha-Factos procurou um pouco por todo o país e reuniu para ti sete lugares de provocar calafrios… Isto é, se te atreveres a explorá-los.

Capela dos Ossos – Portugal
Assim como o Ossuário de Sedlec, a Capela dos Ossos de Portugal é um lugar com centenas de ossos humanos cuidadosamente posicionados. Já na entrada do santuário, localizado nas proximidades de um cemitério, podemos conferir a seguinte mensagem: “Nós, ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos” – sinistro. É estimado que existam aproximadamente 5 mil caveiras na Capela dos Ossos.
1. Casa do Relógio de Sol – Foz do Douro, Porto
Casa do Relógio de Sol, também conhecida como Casa Manuelina/Neomanuelina, está situada na Foz do Douro. Esta casa, datada de 1907, está neste momento a apodrecer a olhos vistos. A casa foi concedida quando o capitão de artilharia Artur Jorge Guimarães comprou um terreno naquela que é atualmente a Avenida Brasil. Artur, juntamente com a sua esposa, Beatriz, construiu esta casa para férias. Diz-se que este projeto foi idealizado por Teixeira Lopes.
Após a morte de Artur, a sua esposa deixou a casa aos seus legítimos herdeiros. No entanto esta foi ocupada ilegalmente, na época do 25 de abril, por um sapateiro. Diz-se que esse mesmo homem terá danificado e destruído a riqueza interior desta residência, entrando num conflito com os legítimos herdeiros da casa. Contudo, essa briga nunca se resolveu no final. E já se sabe como é que os espíritos reagem a problemas pendentes…
2. Hotel Monte Palace – São Miguel, Açores
O hotel de 5 estrelas Monte Palace situa-se na ilha de São Miguel junto à maior atracção do arquipélago, a Lagoa das Sete Cidades, da qual possui uma vista privilegiada.
Monte Palace abriu ao público em 1989. Era um hotel enorme e requintado, com uma decoração rica em adornos. Foi em tempos um poço de esperança para muitos trabalhadores que idealizavam o sucesso desmedido do edifício. Contudo, as incessantes expectativas acabaram por não se realizar e o hotel fechou após ano e meio de funcionamento devido a problemas financeiros.
Durante vários anos o edifício foi protegido de pilhagens por um guarda e alguns cães. Porém, nos últimos tempos o hotel foi deixado ao abandono completo. O seu interior degradou-se. Desapareceu qualquer sinal de vida. Resta a desolação e os destroços de uma ambição soterrada entre sonhos não realizados.
3. Casa das Pedras – Parede, Cascais
Construída em 1930 pelo capitão Manuel de Azevedo Gomes, a Casa das Pedras é conhecida pelas gentes de Parede pela sua atmosfera assustadora. Há quem ainda afirme que os típicos fenómenos naturais de uma casa assombrada acontecem com bastante frequência: luzes que se acendem e apagam, vultos nas janelas, portas e janelas a baterem…
Contudo, apesar de muitos afirmarem que a casa está desabitada devido aos fantasmas que atormentam quem a queira ocupar, a verdade é que esta mansão é habitada pelos dois netos do capitão Manuel GomesFernanda Benedita Azevedo Gomes e João Paulo, ambos com idades acima dos 90 anos.
A casa foi construída com pedras e conchas, criando um ar peculiar, uma vez que o seu construtor queria recriar um ambiente que lhe fizesse lembrar o mar. Em 1997, a Casa das Pedras foi classificada como património arquitetónico.
4. Sanatório de Mont’Alto – Serra de Valongo
Sanatório de Mont’Alto (mais conhecido na região como sendo o Sanatório de Valongo) trata-se de um edifício que foi aberto de modo a prestar assistência aos tuberculosos, uma doença que na época da sua abertura assolava os portugueses. Chegaram a estar lá internadas 350 pessoas em simultâneo, apesar de a sua lotação inicial ser de 50 camas. Há vários relatos de pacientes que morreram lá de forma horripilante.
Este sanatório esteve ativo de 1958 até 1975. Há um rumor de que este local ainda se tentou manter aberto como um lar de idosos. Contudo, diz-se que devido a relatos de maus-tratos e abusos, o Sanatório foi definitivamente deixado ao abandono.
Após o seu abandono, foi pilhado, vandalizado e prejudicado por uma série de incêndios na zona. Atualmente estas ruínas são frequentemente ocupadas pelos interessados em jogar paintball. Contudo, os rumores e lendas associados a fantasmas atormentados pelo que ali passaram, práticas de rituais satânicos e tráfico de droga continuam associadas a este local, que já foi explorado por várias equipas dedicadas ao paranormal.
5. Convento da Seiça – Figueira da Foz 
Convento da Seiça, também conhecido como Mosteiro da Seiça, foi mandado construir por D. Afonso Henriques no ano de 1175 em homenagem à Virgem Maria, que teria realizado um milagre junto à capela da Nossa Senhora da Seiça. Com a morte do rei em 1185 as obras deste estabelecimento freirático foram continuadas pelo filho, Dom Sancho I, que o entregou à ordem de São Bernardo.
No ano de 1348 a peste negra abateu-se sobre o Convento da Seiça dizimando em apenas dois meses cerca de 150 religiosos, bem como alguns caseiros. Em 1513 a igreja do convento foi ampliada , tendo sido considerada uma das melhores das redondezas no século XVII (dezoito).
Após várias intervenções e não estando registado no Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico o Convento da Seiça encontra-se abandonado e em estado de degradação.
6. Casa Amarela – Ovar
Há sempre rumores que tentam explicar o porquê de um lugar estar assombrado. No caso da Casa Amarela de Ovar, há duas versões que explicam a existência de fantasmas no seu interior. A primeira versão refere a história de um pai e uma filha que viviam na casa. A rapariga namorava às escondidas, pois sabia que o pai nunca iria aprovar. Contudo, o pai descobriu e, enraivecido, atirou-os a um poço, suicidando-se pouco tempo depois no mesmo lugar.
A segunda versão também conta uma história que termina em suicídio. Diz-se que na Casa Amarela habitava um empresário de sucesso que um dia perdeu tudo o que tinha devido a negócios arriscados. Vendo-se na possibilidade de ficar sem a casa por não conseguir pagar as dívidas, acabou por se matar.
Ambas as histórias ajudaram a dar à casa a sua fama de assombrada, para além do facto de que é dito que quem adquire a casa acaba por sair rapidamente devido a fenómenos paranormais. É dito também que já se tentou demolir a casa, mas tal tornou-se impossível porque assim que as máquinas se aproximavam, desligavam-se logo sem qualquer explicação.
7. Edíficio Panorâmico de Monsanto – Lisboa
Edifício Panorâmico de Monsanto está integrado no Parque Florestal de Monsanto. Foi mandado construir pela Câmara Municipal de Lisboa em 1968 para acolher ou um restaurante ou um miradouro ou uma unidade hoteleira mas a verdade é que as obras nunca foram concluídas.
No início dos anos 1970, José Cristóvão, empresário tomarense, realizou algumas obras no interior do edifício para ali instalar um complexo turístico. O projeto acabou por não vingar.
A verdade é que o edifício está abandonado e em estado de degradação. Há quem diga que o Edifício Panorâmico de Monsanto está assombrado por uma má sorte que não deixa qualquer projeto pensado para ali avançar. Outros afirmam que é apenas falta de vontade política e ausência de capacidade de rentabilização do espaço.

Comentários

Mensagens populares