expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Seguidores

sábado, 31 de agosto de 2013

Vida na Terra veio de Marte, defendem cientistas

Vida na Terra veio de Marte, defendem cientistasA renomada Conferência Internacional Goldschmidt para Geoquímicos, cuja edição deste ano se encerra hoje em Florença, Itália, chamou atenção da mídia pelo inusitado. Entre as diferentes apresentações, o destaque ficou com Steve Benner, do Instituto Westheimer de Ciência e a Tecnologia, nos EUA.
Ele está defendendo que a vida no planeta Terra veio de Marte, pois com a comprovação que lá existiu água, o planeta vermelho teria todas as condições para que existisse vida. Mais especificamente as “sementes da vida” teriam chegado ao nosso planeta através de meteoritos gerados por fortes impactos ou erupções vulcânicas na superfície do planeta vizinho. Outros especialistas na área concordam com ele.
“As evidências parecem ser cada vez mais fortes de que na realidade somos todos marcianos. Que a vida começou em Marte e veio para a Terra numa rocha. É uma sorte termos acabado aqui, uma vez que a Terra é, sem dúvida, o melhor dos dois planetas para manter a vida. Se os nossos hipotéticos antecessores marcianos tivessem ficado em Marte, poderia não haver história para contar”, explica Benner.
O motivo dessa teoria seria uma forma mineral oxidada do elemento químico molibdênio, que ajudou a evitar que as moléculas de carbono – a base da vida – se degradassem. Ele funcionaria como catalisador que potencializou a evolução de moléculas orgânicas das primeiras formas de vida. Por isso, seria crucial para o início da vida terrena.
“Esta forma de molibdênio não existia na Terra quando a vida começou por aqui, três bilhões de anos atrás, a superfície da Terra tinha muito pouco oxigênio, mas Marte tinha muito mais”, concluiu o cientista.
A “comprovação” de sua teoria veio de análises recentes de um meteorito marciano que continha molibdênio, assim como baro, elemento químico que também impulsionou a criação da vida.
Entre as outras teorias existentes sobre a origem alienígena da vida na Terra implicam que a água foi inicialmente trazida por cometas. Também conhecidos como “bolas de neve sujas”, eles conteriam gelo e poeira da época do início do Sistema Solar. Ainda debate-se a panspermia, teoria que sugere que bactérias vieram de carona em rochas espaciais e caíram nos mares quentes da Terra, onde se desenvolveram e evoluíram. Com informações de Euro News e Ciência Online.

Cristãos do Oriente Médio se unem contra ação militar na Síria

Cristãos do Oriente Médio se unem contra ação militar na SíriaIgrejas católicas e protestantes do Oriente Médio estão unidas contra a catástrofe que pode acontecer na Síria, caso haja intervenção militar na tentativa de barrar os confrontos internos.
Juntos eles reafirmam a fala do Papa Francisco que é contra o uso das forças armadas para resolver o problema. “Não é o confronto o que oferece perspectivas de esperança para resolver os problemas, e sim a capacidade de reunir-se e dialogar”, disse o líder católico.
Para os líderes cristãos do Oriente Médio o papa pode ajudar a influenciar as decisões no Ocidente e por isso eles torcem para que Francisco volte a tocar no assunto condenando a intervenção militar na Síria.
O vaticanista Marco Politi explica que o medo dos cristãos é que o uso da força militar repita a experiência negativa da guerra no Iraque há 10 anos. “O medo dos cristãos de um ataque militar se baseia na história dos últimos 10 anos”, disse.
Outro medo dos cristãos é perder a proteção garantida pelos regimes autoritários e laicos, o que não acontece quando quem assume o poder é regido, por exemplo, pela Irmandade Muçulmana como aconteceu recentemente no Egito.

Mórmons admitem erros e corrigem “revelação” após 183 anos

Mórmons admitem erros e corrigem “revelação” após 183 anosUma suposta revelação de um anjo a Joseph Smith, em 1827, três anos depois levou à publicação do Livro de Mórmon, também chamado de “Outro Testamento de Jesus Cristo”. O movimento religioso, considerado uma seita do cristianismo, atende pelo nome oficial de Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Como a Bíblia não lhes parece suficiente, usam uma série de livros para fundamentar suas crenças. São eles “Livro de Mórmon”, “Doutrina e Convênios” e “Pérola de Grande Preço”. Além disso, eles possuem um grupo de líderes que formam Quórum dos Doze Apóstolos e cujas decisões são consideradas equivalentes a palavra dos apóstolos de Jesus.
Em abril 2013 o Mormonismo decidiu anunciar que fará uma nova versão de alguns de seus livros, incluindo comentários interpretativos e modificando algumas doutrinas estabelecidas pelo seu fundador. A última revisão de textos dos mórmons foi publicado em 1981, algo que ocorre de tempos em tempos desde que o governo americano os proibiu oficialmente de divulgar certas práticas. A deste ano, porém, é mais profunda.
O comunicado oficial publicado no site oficial da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, disse ter chegado a uma decisão final “depois de oito anos de trabalho.” Os editores reconhecem que há mudanças nos textos supostamente revelados pelo anjo Moroni a Joseph Smith: “A intenção era fazer com que as fossem modificar as questões gramaticais confusas… corrigir erros nos guias de estudo e incorporar recentes descobertas históricas em seções do “Doutrina e Convênios”.
As revisões na doutrina não são insignificantes, pois admitem erros e questionam a infalibilidade de uma revelação especial. Principalmente se ela sofre alterações várias vezes e se deixa levar pelos que os líderes mórmons consideram importantes por causa de mudanças no pensamento da sociedade. As mudanças significativas desafiam dois grandes erros históricos presentes ao longo dos 180 anos de tradição deste grupo religioso. As duas novas “declarações oficiais” que aparecerão com a edição impressa dos livros a partir de 2013 lidam com questões controversas na história da seita: a poligamia e o racismo. O material agora está chegando aos outros países em que existem igrejas mórmons.
O objetivo parece ser “tentar se aproximar de ser vista como uma denominação cristã e… esse é um importante passo neste processo”, acredita Kyle Beshears, erudito e pesquisador de apologética. Embora Joseph Smith ensinasse o “casamento plural”, com base no relato bíblico sobre Abraão. Mas depois de receber uma “nova revelação”, o presidente do conselho dos mórmons, Wilford Woodruff emitiu um manifesto mudando isso para monogamia, que foi aceito pela Igreja e ensinado desde 6 de outubro de 1890. Ainda assim, muitos seguidores do mormonismo mantém a prática até hoje.
Segundo Beshears, é muito difícil conciliar as ideias de Smith a Declaração Oficial 1, de 2013, pois a seção 132 do Doutrina e Convênios diz claramente que a poligamia é um aspecto da “nova e eterna aliança”. Dizem os versos 61 e 62 “Se um homem desposar uma virgem e desejar desposar outra e a primeira der seu consentimento; e se ele desposar a segunda e elas forem virgens e não estiverem comprometidas com qualquer outro homem, então ele estará justificado; ele não pode cometer adultério, porque elas lhe foram dadas; pois ele não pode cometer adultério com o que lhe pertence e a ninguém mais. E se dez virgens lhe forem dadas por essa lei, ele não estará cometendo adultério, porque elas lhe pertencem e lhe foram dadas; portanto ele está justificado”.
A Declaração Oficial 2, também modifica um artigo do Doutrina e Convênios, que não permite que negros sejam sacerdotes ordenados, nem tenham acesso ao mais alto nível da salvação na vida após a morte. O motivo seria a maldição mencionada no Livro de Mórmon, em 2 Néfi 5:21:21 e 23 “Ele fez cair uma maldição sobre eles, sim, uma dolorosa maldição, por causa de sua iniquidade. Pois eis que haviam endurecido o coração contra ele de tal modo que se tornaram como uma pedra; e como eram brancos, notavelmente formosos e agradáveis, a fim de que não fossem atraentes para meu povo o Senhor Deus fez com que sua pele se tornasse escura… E amaldiçoada será a semente daquele que se misturar com a semente deles; porque será amaldiçoada com igual maldição. E o Senhor assim disse e assim foi”.
O apologeta Beshears explica que “a resposta pode ser encontrada no ambiente cultural nos Estados Unidos no século XIX e XX. A Igreja dos Santos dos Últimos Dias foi influenciada pelo forte racismo, que era visto em todas as facetas da vida americana por mais de 200 anos”.  Ele é enfático “Embora os líderes atuais não resolvam os problemas teológicos sobre poligamia e racismo… nem de perto corrigiram as doutrinas perigosas e falsas de Joseph Smith”. Com informações de Protestante Digital e Christian Post.

Pastor que anunciou traição de moça em culto é condenado por falso testemunho

anelO Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a condenação de um pastor em Votuporanga (SP), por falso testemunho. O pastor, que foi testemunha de uma briga de casal durante um culto, afirmou que a mulher teria traído o namorado.

A pena para o pastor é de 1 ano e 2 meses de reclusão e 11 dias-multa (mínimo legal). A condenação estende-se a um salário mínimo para substituir a pena corporal. O acórdão foi assinado pelo desembargador Pinheiro Franco.
Depois de uma briga entre um casal durante um culto religioso, o pastor foi testemunha no caso, passando, entretanto, informações que não correspondem com o que as outras testemunhas declararam.
No início do culto, o rapaz estaria furioso, anunciando que sua ex não se casaria mais com ele. O rapaz proferiu ofensas contra a moça, o que foi presenciado por todos no culto.
Após a briga, o religioso testemunha do caso não teria confirmado as ofensas, e ainda teria afirmado que houve adultério. O pastor também relatou que pelas regras da igreja, ela ficaria sem participar das atividades da instituição e o rapaz ficaria afastado por um ano.
Outras testemunhas do caso confirmaram as ofensas, bem como descreveram o acontecimento.
O namorado foi processado e condenado pela prática dos crimes contra a honra, enquanto o pastor condenado por falso testemunho.
As informações são do Votuporanga Tudo.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Charge de Cristo negro morto por policial gera processo

Charge de Cristo negro morto por policial gera processoO deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP-RJ) é filho do polêmico deputado federal Jair Bolsonaro. Ele está se unindo aos policiais militares do Rio em um processo contra o cartunista Carlos Latuff. O motivo é o desenho de um Cristo negro recebendo o tiro de um policial fardado.
Um quadro com a imagem está na parede do gabinete do juiz João Batista Damasceno, da 1ª Vara de Órfãos e Sucessões do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Flávio alega que o desenho “retrata uma cena de cunho difamatório não somente à instituição [Polícia Militar] mas inclusive à sua própria honra objetiva e subjetiva”. Além disso, a charge estava no local durante uma audiência pública realizada “sob o pretexto da desmilitarização da política de segurança”.
A ação indenizatória contra o magistrado e o autor da charge exigiria o pagamento de R$ 28 mil por parte dos réus, caso sejam condenados.  Bolsonaro também pediu à presidente do TJ, a desembargadora Leila Mariano, que o quadro seja tirado do gabinete de Damasceno.
“No quadro vislumbra-se a imagem de um policial militar sendo autor de um disparo de arma de fogo em um homem preso à uma cruz, fazendo alusão à crucificação de Jesus Cristo. (…) A obra pretende fazer crer que todos os policiais militares são pessoas que vestem suas fardas para cometer os mais perversos crimes contra a humanidade, em referência, ainda que indireta, à morte de Jesus Cristo “, afirma o deputado.
O chargista Carlos Latuff usou o Facebook para defender a livre exibição da charge e denunciou:  ”Juiz João Batista Damasceno já recebe ameaças de morte por pendurar quadro com minha charge sobre a violência policial em seu gabinete”. As ameaças teriam partido de policiais do Rio.
fe demais latuff Charge de Cristo negro morto por policial gera processo
Crítica do chargista a Marcha para Jesus.
Para Damasceno, a obra do cartunista Latuff não possui um tom religioso, apenas “evoca a violência do Estado contra o povo ao longo da história. A política de segurança pública militarizada tem como alvo os pobres e excluídos, ‘inimigos eternos’ sujeitos ao extermínio”.
biblia sagrada latuff 2013 Charge de Cristo negro morto por policial gera processo
Crítica a intolerância religiosa.
Os desenhos do carioca Latuff são conhecidos pelo tom político e vem causando desconforto entre vários segmentos da sociedade, entre eles os evangélicos. Com informações UOL.
bancada evangelica e a cura gay 1 Charge de Cristo negro morto por policial gera processo
untitled Charge de Cristo negro morto por policial gera processo

Guerra contra Síria é prenuncio da volta de Jesus, afirmam estudiosos

Guerra contra Síria é prenuncio da volta de Jesus, afirmam estudiososA segunda vinda de Jesus está ligada à cidade de Damasco, capital da Síria, acreditam estudiosos das profecias cristãos e muçulmanos. A crescente ameaça de guerra dos sírio contra outros países gerou uma série de análises de antigos escritos.
Em comum entre as previsões está o iminente retorno de Cristo. Da parte dos cristãos, alguns apontam para Isaías 17:1, que diz: “Eis que Damasco será destruída, e já não será cidade, antes será um montão de ruínas. As cidades de Aroer serão abandonadas; hão de ser para os rebanhos que se deitarão sem que alguém os espante”. Para alguns, esse seria um prenúncio do Armagedon, a batalha final.
Muitos sites cristãos dedicados a interpretação das Escrituras têm especulado sobre se o iminente conflito na Síria foi profetizado na Bíblia. Alguns estudiosos acreditam que esta profecia se cumpriu em 732 a. C, quando os assírios destruíram a cidade, enquanto outros estão convencidos de que se trata de um “evento final dos tempos ainda acontecerá”, explica o portal Christian Post.
Curiosamente, surgem especialistas lembrando que os muçulmanos também acreditam na segunda vinda de Jesus, que pare eles foi um profeta. O texto mencionado na Surat An-Nisa, diz: “E não há ninguém do Povo do Livro, mas que certamente hão de crer em Jesus antes de sua morte. E no Dia da Ressurreição ele será uma testemunha contra eles”.
Abd Ibn Abbas, tio de Maomé relata uma visão do profeta muçulmano: “Na noite de minha ascensão aos céus, eu vi Moisés que era um homem alto de cabelos castanhos como se pertencesse a tribo de Shanawa, e eu vi Jesus, um homem de estatura mediana e complexão moderada inclinada para as cores vermelha e branca e de cabelo liso. Eu também vi Malik, o guardião do Inferno e o Dajjal [Anticristo] entre os sinais que Allah me mostrou”.
Mais especificamente, os estudiosos muçulmanos citam um hadith que fala sobre a ligação de Damasco com a segunda vinda de Jesus, o Livro de Sahih, 41, cuja Hadith 7015 diz: “Allah enviará o Messias filho de Maria. Ele então descerá perto do minarete oriental branco de Damasco, vestido com dois mantos amarelos, apoiado nas asas de dois anjos.”
O imã Abdullah Antepli, capelão muçulmano da Universidade de Duke e fundador da Associação Muçulmana de Capelães, explicou que “existem duas escolas de pensamento dentro do Islã sobre profecias. Alguns muçulmanos entendem as profecias escritas no Alcorão e nas hadiths como literais, mas a maioria dos muçulmanos nunca vê as previsões proféticas em seu sentido literal.”
Com relação à segunda vinda de Cristo, Antepli esclarece: “Como líder muçulmano, para mim a segunda vinda de Jesus representa a paz entre muçulmanos e cristãos, onde se estabelecerá um reino de paz e justiça sobre a terra”.
David Lose, do Luther Seminary, erudito e autor de livros, também deu sua opinião: “Alguns veem quase todas as palavras proféticas como acontecimento futuros, ao invés de vê-las como metáforas destinadas a inspirar a esperança e oferecer conforto no presente”. Para o primeiro grupo, é um constante exercício tentar estabelecer os acontecimentos dos últimos dias.
Outros estudiosos alertam que o conflito na Síria pode ser os primeiros sinais de uma Terceira Guerra Mundial, pois o Oriente Médio está repleto de alianças e tensões que ampliam drasticamente o significado de um ataque à Síria.
O professor e teólogo Joel C. Rosenberg, assevera: “O contexto de Isaías 17 e Jeremias 49 são uma série de profecias do fim dos tempos que lidam com os juízos de Deus sobre os vizinhos e inimigos de Israel que antecedem – e ocorrem durante a – Grande Tribulação”.
O erudito Jack Kinsella, defende em seu livro sobre os conflitos que antecedem o final do mundo, que o provável ataque dos EUA ou das forças da ONU à Síria envolvam reações de todos os países vizinhos contra Israel. Isso poderia causar um efeito dominó, com contra-ataques dos muçulmanos do Hezbollah, Irã, Turquia e talvez até mesmo Jordânia e Egito.
Damasco é considerada a mais antiga cidade continuamente habitada do mundo, com uma história de 5000 anos. Embora tenha sido atacada e conquistada, nunca foi completamente destruída como anuncia a profecia. Hoje possui uma população de quase 2 milhões. A Enciclopédia Judaica explica que o termo “Aroer” em Isaías 17.2 provavelmente foi traduzido incorretamente, e que a melhor opção seria “as cidades ao redor serão abandonadas”. Se essa for a tradução correta, incluirá a fortaleza do Hezbollah, no Vale de Bekaa no Líbano, que era parte do território arameu no tempo de Isaías, e fica entre Beirute e Damasco.
O texto de Isaias oferece ainda um vislumbre do que seriam os acontecimentos posteriores:
“E a fortaleza de Efraim cessará, como também o reino de Damasco e o restante da Síria; serão como a glória dos filhos de Israel, diz o Senhor dos Exércitos. E naquele dia será diminuída a glória de Jacó, e a gordura da sua carne ficará emagrecida” (Isaías 17:3-4).
Jacó e Efraim são nomes alternativos para o Reino do Norte e Samaria era sua capital. Judá era o nome dado ao Reino do Sul, mais tarde alterado para Judéia nas eras grega e romana. E não há dúvidas que anunciam o prenúncio de um cenário de guerra.
“Naquele dia atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel. E não atentará para os altares, obra das suas mãos, nem olhará para o que fizeram seus dedos, nem para os bosques, nem para as imagens. Naquele dia as suas cidades fortificadas serão como lugares abandonados, no bosque ou sobre o cume das montanhas, os quais foram abandonados ante os filhos de Israel; e haverá assolação” (Isaías 17.7-9). Com informações de Christian Post e Huffington Post.

Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo

Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundoDurante séculos catedrais, igrejas e templos cristãos foram um referencial na engenharia. O estilo gótico que predominou na Idade Média se mantém como um símbolo de uma era.  Porém, os projetos de arquitetura e design de igrejas modernas podem surpreender quem espera ver sempre a manutenção dessa tradição secular.
A lista a seguir foi elaborada pelo site Christian Universities que mostra prédios curiosos, que desafiam os limites do que normalmente se espera ver em uma igreja. Não estão em ordem de importância nem de “estranheza”, apenas são apresentadas em formato de lista.
Igreja de Harajuku – Tóquio, Japão
harajuku church – tokyo japan Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
Construída originalmente em 1904, teve de ser reconstruída após a Segunda Guerra Mundial. Cerca de meio século mais tarde, descobriu-se que a estrutura era vulnerável a terremotos. A congregação decidiu que era hora de fazer algo novo. O prédio antigo foi demolido e em seu lugar surgiu em 2006 um templo com uma impressionante fachada, que apresenta curvas ousadas que privilegiam a luz natural durante o dia. O pastor Tsuchihashi, que lidera a igreja hoje explica que a igreja oferece um lugar “para as pessoas a ficarem perto de Deus em um ambiente amplo e bonito.”
Igreja Paroquial – Rivas-Vaciamadrid, Espanha
parish church of santa monica – rivas vaciamadrid spain Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
Concluída em 2009, a Igreja Paroquial de Rivas-Vaciamadrid fica num município a cerca de 12 quilômetros da capital espanhola. O edifício inclui duas áreas de habitação para os sacerdotes e espaços para os escritórios da igreja e salas de educação religiosa.
O design abstrato lembra uma mão fechada com um dedo apontando para o céu. De acordo com os arquitetos, eles queriam “procurar maneiras em que unem a terra e o céu, o ápice do sagrado.” As claraboias servem para iluminar o interior em um jogo de luzes. No interior do edifício há obras de escultores contemporâneos e artistas feitas especialmente para adornar o local de culto.
Catedral Metropolitana de Brasília – Brasília, Brasil
metropolitan cathedral of brasilia – brasilia brazil Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
A Catedral Metropolitana de Brasília se assemelha a uma coroa gigante. Criação do influente arquiteto Oscar Niemeyer, o edifício tem 16 colunas em forma de “bumerangue”, que são repletas de janelas que enchem o interior com luz colorida.
A construção foi concluída em 1960. Estima-se que receba a visita de um milhão de pessoas a cada ano.
Igreja Christus, Hoffnung der Welt – Viena, Áustria
donau city church – vienna austria Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
O nome oficial é Christus, Hoffnung der Welt [Cristo, esperança do mundo], mas também é conhecida como Igreja de Donau City, por estar no distrito de Viena com o mesmo nome.
Concluída no ano 2000, seu exterior é constituído por chapas de aço inoxidável que mudam de cor, dependendo da intensidade da luz. A superfície escura é perfurada com janelas redondas semelhantes e texturizadas com parafusos de aço inoxidável. Seu interior contrasta com a aparência metálica, privilegiando os acabamentos em gesso e as cores claras das paredes.
Capela do Pôr do Sol – Acapulco, México
sunset chapel – acapulco mexico Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
Localizado na cidade de Acapulco, México, famosa pelas suas praias, a igreja fica sobre uma colina com vista para a Baía de Acapulco. O formato do prédio tinha a intenção de imitar as pedras gigantescas características do local.
Sua construção foi concluída em fevereiro de 2011. A base estreita permite acesso a uma escada curva, que conduz à nave do templo, que fica no que seria o segundo andar do edifício.
Igreja ortodoxa grega ucraniana de São José dos Noivos – Chicago, EUA
st. joseph the betrothed ukrainian greek catholic church – chicago usa Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
Construída pela comunidade de descentes de ucranianos em 1977, ela procura mesclar elementos tradicionais e modernos. Doze colunas tubulares de concreto e vidro cercam a cúpula central, refletindo amplamente a luz natural. Cada uma das 12 colunas representa um dos apóstolos e a cúpula central representa Jesus Cristo. Contrasta com suas linha modernas, o interior decorado com afrescos seguindo a tradição bizantina.
Capela Thorncrown – Arkansas, EUA
thorncrown chapel – arkansas usa Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
Localizada na pequena cidade de Eureka Springs, Arkansas, seu nome significa literalmente “coroa de espinhos”. Ela foi construída em 1980 e parece um prolongamento das altas árvores que a rodeiam. Embora pareça ser uma gigante capela ao ar livre, na verdade é composta de 425 janelas.
O prédio já foi visitado por mais de seis milhões de pessoas e ganhou vários prêmios de arquitetura. O mais notável, no entanto, é o fato de ser colocada no Registro Nacional de Lugares Históricos, em 2000, algo extremamente raro para edifícios com menos de 50 anos de idade.
Santuario della Madonna Lacrime – Sicília, Itália
santuario della madonna lacrime – sicily italy Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
O nome em italiano é traduzido literalmente como “Nossa Senhora das Lágrimas”, por isso lembra uma lágrima gigante, com 80 metros de altura. Foi construída em 1994 na cidade de Siracusa, na ilha italiana da Sicília. Segundo a tradição foi construída para abrigar a estátua de gesso do Imaculado Coração de Maria, que teria chorado lágrimas humanas em 1953. Em novembro daquele ano, cerca de 300 curas milagrosas foram atribuídos à estátua.
Capela da Academia de Cadetes da Aeronáutica – Colorado, EUA
united states air force academy cadet chapel – colorado usa Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
O templo fica na base aérea de Colorado Springs, Colorado. São 17 torres que se erguem imponentemente no ar. Terminado em 1963, a estrutura é composta de tetraedros de alumínio, separados por seções de janela de vidro colorido. Com 50 metros de altura, a capela tornou-se em pouco tempo a principal atração artificial do Colorado.
A estrutura originalmente abrigava uma capela evangélica, mas por exigência dos cadetes de outras religiões, hoje dispõe de um espaço para católicos, uma sala para budistas, um local de culto judaico e espaço para muçulmanos no mesmo edifício. Foi considerada um marco histórico em 2004.
Catedral da Transição – Christchurch, Nova Zelândia
ChristchurchCathedral Conheça as 10 igrejas mais estranhas do mundo
Quando a cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, foi quase totalmente destruída por um terremoto em 2011, a catedral de 132 anos que deu origem ao nome da cidade também veio ao chão. Para substitui-la foi inaugurada em 2013 a Catedral de Transição, primeira igreja do mundo feita de papelão.
Como seu nome sugere, foi construída para ser usada enquanto não se reconstrói a antiga, de concreto. Feita com tubos de papelão revestidos com poliuretano à prova de água e bloqueadores de fogo, o templo anglicano tem um memorial das pessoas mortas no terremoto e uma grande cruz de papelão no centro. As cadeiras são de madeira e uma grande janela triangular com painéis coloridos dá um belo efeito de iluminação.

Comprovada a autenticidade das maiores descobertas arqueológicas bíblicas

Comprovada a autenticidade das maiores descobertas arqueológicas bíblicasUma batalha legal de 10 anos está chegando ao fim na Terra Santa. Varias relíquias bíblicas surpreendentes, incluindo uma caixa de pedra calcária onde estariam os ossos do irmão de Jesus e a primeira “prova” do Templo construído pelo rei Salomão.
A Autoridade de Antiguidades de Israel não conseguiu provar em tribunal que os itens foram forjados por Oded Golan, que revelou ao mundo as antiguidades. Este mês, o governo de Israel pediu a posse dos itens que ele passou uma década chamando de “falsos”.
O jornal israelense Haaretz noticiou a declaração do representante da Autoridade de Antiguidades: “Nós entendemos a situação de forma diferente agora. Isso nos pertence… e temos o direito de fazer o que quisermos com nossa propriedade”.
O Supremo Tribunal de Israel ainda não deu o veredito final sobre quem terá a posse definitiva, se Golan ou o estado. Mas isso pode mudar muita coisa, explica Hershel Shanks, editor-chefe da revista especializada Biblical Archaeology Review.
“Eles ficaram acusando-o de falsificador por mais de dez anos, tornaram sua vida um inferno, mandaram-no para a cadeia, depois para prisão domiciliar e geraram uma enorme despesa legal… e agora eles estão reconhecendo que são autênticas? É difícil de entender”, disse ele em entrevista à FoxNews.
ossario de tiago Comprovada a autenticidade das maiores descobertas arqueológicas bíblicas
Peritos negam que ossuário de irmão de Jesus seja falso
A principal disputa é pela chamada Yoash tablete, ou “estela de Joás”, uma pedra com o tamanho de um caderno escolar. Suas quinze linhas descrevem os planos do rei Joás para a reforma do Templo de Salomão. A narrativa confirma o que está no capítulo 12 do Segundo Livro dos Reis, no Antigo Testamento.
As inscrições em fenício relatam como o rei Joás instruiu os sacerdotes a recolherem dinheiro para pagar as reformas do Primeiro Templo de Jerusalém. O pequeno artefato pode ser considerada a mais antiga prova de um relato bíblico já encontrada. “Se a inscrição passar por todos os testes de autenticidade, será o artefato mais importante da arqueologia israelense”, disse na época o arqueólogo Gabriel Barkai, da Universidade Bar-Ilan.
A disputa sobre a existência do Primeiro Templo de Salomão no monte Sião envolve um conflito secular com os muçulmanos, pois no local atualmente está o Domo da Rocha, reverenciado pelo Islã. O Muro das Lamentações, logo ao lado é tudo que restou do Segundo Templo, construído por Herodes durante a ocupação romana da região.
O outro item envolvido no processo é um ossuário, uma caixa de pedra calcária que guardaria os restos mortais de um judeu chamado Tiago. O grande diferencial é a inscrição que diz: “Tiago, filho de José, irmão de Jesus”. O uso de nomes coincide com a narrativa do Novo Testamento e seria considerado o primeiro “elo físico” da narrativa sobre Jesus fora da Bíblia.
Golan já colocou o ossuário em exposição em museus. Mas a Autoridade de Antiguidades de Israel sempre questionou sua autenticidade. São 10 anos de disputa nos tribunais, um processo que inclui 12 mil páginas de documentos e foram mais de 100 audiências. O veredito final pode causar um grande impacto na comunidade arqueológica mundial.
David Barhum, o advogado de defesa de Golan, acredita que a mudança de atitude do governo de Israel seria a confirmação definitiva que as peças apresentadas por seu cliente são verdadeiras.
Por sua parte, os representantes da Autoridade de Antiguidades de Israel não querem se manifestar antes da divulgação do veredito. Eles continuam dizendo que as peças são forjadas, mas como foram encontradas no território de Israel, pertencem ao Estado.
Especialistas em arqueologia olham para três aspectos antes de determinar a autenticidade de uma descoberta: o estilo da escrita, a linguagem da inscrição e a composição geológica do material. Até agora não existe um consenso nas análises feitas nas peças.
Se nos tribunais o processo se encerrou, na comunidade científica, a controvérsia continua longe de uma solução definitiva. Os primeiros testes mostraram que a inscrição datava do século IX a.C., o que coincidiria com o reinado de Joás. Também indicaram a presença de salpicos de ouro fundido na superfície da pedra, que poderiam ter sido causados por um incêndio, como o que destruiu o Templo de Salomão, em 586 a.C.
As provas históricas da existência de Salomão são escassas e evidências concretas do templo construído por ele nunca foram encontradas.
O principal problema na questão do ossuário, que tem 50 centímetros de comprimento por 25 centímetros de altura e pesa 25 quilos, é a implicação religiosa. Para os judeus seria embaraçoso admitir que realmente existiu o Jesus descrito na Bíblia.
As discussões sobre o reconhecimento público envolveram cerca de 200 especialistas no julgamento que se desenrola desde 2005. A participação de peritos em testes de carbono-14, arqueologia, história bíblica, paleografia (análise do estilo da escrita da época), geologia, biologia e microscopia transformou o tribunal israelense em um palco de seminário de doutorado. Com informações Isto É, Fox News e Discovery.

Mulher cristã no Paquistão condenada à morte por estar com sede

Asia BibiUma mulher cristã no Paquistão afirmou que ela recebeu uma sentença de morte simplesmente porque ela teve “sede”. A mãe de cinco, que está atualmente na prisão, no corredor da morte, foi condenada à morte por enforcamento em 2009, após ser acusada de blasfêmia – uma acusação que ela nega veementemente. Ela já lançou o seu livro de memórias, “blasfêmia”, da prisão onde ela diz a seu lado chocante da história.

O caso de Asia Bibi ganhou atenção da mídia internacional desde que foi presa há quatro anos, sob a acusação de blasfêmia, enquanto trabalhava como uma apanhadora de fruta na região nordeste do Paquistão. Bibi escreveu juntamente com a jornalista de televisão francesa Anee-Isabelle Tollet. O livro detalha suas lutas como cristã em uma terra predominantemente muçulmana, incluindo sua prisão e a sentença de morte. Apesar do livro ter sido lançado na França em 2011, os meios de comunicação recentemente lançaram trechos do livro para manter a memória do sofrimento de Bibi vivo, e provocou uma nova onda de atenção da mídia para o caso de Bibi.
A prisão de Bibi começou logo após julho de 2009; ela estava colhendo frutas na região nordeste do Paquistão para trazer renda extra para o marido e cinco filhos quando sua vida mudou para sempre. As temperaturas no campo de frutas atingiam acima de 100 graus sufocantes (cerca de 37 graus Celsius), e Bibi, com sede, optou por beber água do poço comunitário compartilhado com outras catadoras de fruta, todas muçulmanas. As mulheres muçulmanas se opuseram à Bibi, uma cristã, bebendo água do mesmo copo que elas, argumentando que isso era “haram”, ou o termpo para qualquer coisa proibida por Deus.
“Quando as mulheres confrontaram Bibi, ela se defendeu de suas ações, argumentando que ela estava com sede e que as mulheres deveriam permití-la beber a água. Vendo que os argumentos continuavam ela disse, “Eu acho que Jesus iria ver isso de maneira diferente de Muhammad”.
Bibi foi então chamada de “cristã imunda” e as coisas se tornaram mais agressivas; ela fugiu para casa temendo mais assédio de suas colegas de trabalho muçulmanas.
Cinco dias depois, contudo, Bibi foi violentamente atacada e espancada por uma multidão enfurecida que a arrastou para a casa do imam local. Lá, o líder muçulmano local ordenou Bibi, que se convertesse ao Islã ou encarasse a pena de morte. Bibi se recusou a se converter e negar Jesus, e ela foi acusada de blasfêmia e levada perante um tribunal pasquitanês. Surpreendemente, ela foi considerada culpada e sentenciada à morte por enforcamento, e ela permaneceu na prisão desde então. Bibi continua a afirmar que, contrariamente às alegações das mulheres muçulmanas, ela não insultou o profeta Maomé nos campos em julho de 2009, e estava simplesmente com sede.
“Eu sou vítima de uma injustiça coletiva e cruel,” Bibi escreve na sua biografia, de acordo com os trechos publicados recentemente pelo New York Post.
“Eu fui presa, algemada e acorrentada, banida do mundo e esperando para morrer. Eu não sei quanto tempo me resta para viver. Toda vez que a porta da minha cela abre meu coração dispara mais forte. Minha vida está nas mãos de Deus e eu não sei o que vai acontecer comigo. É uma existência cruel e brutal. Mas eu sou inocente. Eu sou culpada somente de por ser presumidamente considerada culpada”, acrescenta ela.
“Eu, Asia Bibi, fui sentenciada à morte porque eu estava com sede. Eu sou uma prisioneira porque eu usei o mesmo copo que aquelas mulheres muçulmanas usaram, porque a água servida por uma mulher cristã foi considerada impura pelas minhas companheiras estúpidas catadoras de fruta”, disse Bibi.
De acordo com o National Catholic Reporter, a vasta maioria dos paquistaneses, 97 por cento da população, pertence à religião muçulmana, enquanto que há também cerca de 3 milhões de cristãos e 3 milhões de hindus na nação.
Bibi, 46, foi inicialmente presa na Prisão do Distrito de Seikhupura, próxima à cidade de Lahore, mas ela foi desde então transferida para uma prisão mais remota. Segundo relatos, ela está constantemente preocupada que sua comida na prisão irá ser envenenada por guardas ou clérigos muçulmanos com a esperança de matá-la por sua suposta blasfêmia contra Maomé.
Bibi conseguiu escrever seu livro de memórias, Blasfêmia, ditando todo o trabalho para o seu marido, desde a prisão; seu marido então lançou o trabalho para Tollet, que teve o livro de memórias publicado em francês em 2011. O livro foi então lançado no Reino Unido, um ano depois, e já está disponível nos EUA. Metade dos lucros do livro irá ajudar a apoiar a libertação de Bibi da prisão e sua família – o livro será lançado nos Estados Unidos em 1° de setembro de 2013.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Pastor diz ter filmado anjo que o visitou enquanto orava na madrugada

[Vídeo] Pastor diz ter filmado anjo que o visitou enquanto orava na madrugada: “Senti a presença do Senhor”; AssistaUma oração pela vizinhança levou o pastor Charles Shelton a vivenciar uma experiência singular, e agora ele está divulgando vídeos de segurança que comprovariam, segundo ele, a existência de anjos.
Na madrugada do dia 04 de agosto, Shelton sentiu-se impelido a orar pelo seu bairro, West Side, na cidade de Charleston, estado norte-americano de West Virginia. O local tem sofrido com altos índices de criminalidade, e o pastor então dedicou aproximadamente 30 minutos das suas orações pelo bairro.
“A criminalidade vem crescendo no bairro há muito tempo. Você ouve falar sobre tiroteios, assassinatos e vandalismo”, relatou o pastor.
Após a oração, Shelton disse ter tido sua atenção atraída por uma forte luz branca nos monitores das câmeras de segurança de sua casa, e enquanto tentava entender o que seria aquilo, um clarão invadiu a sala onde ele estava.
“Fiquei surpreso. Mas o Senhor me revelou que este era o seu anjo e sua presença”, disse o pastor em entrevista à Rede de TV CBS. Embora muitas pessoas o acusem de forjar o vídeo, Shelton não liga para as críticas: “Quando alguém vê um anjo, por que não podemos falar sobre isso? Orei pela presença de Deus no bairro. Não importo com o que dizem os críticos, sei o que aconteceu”.
“Eu não estou fazendo isso para chamar atenção. Mas as pessoas precisam saber que anjos existem”, afirmou o pastor, que trabalha com evangelismo e vem escrevendo um livro sobre batalha espiritual.
Shelton diz ainda que acredita que a aparição do anjo é a resposta à sua oração: “Acredito que isso mostra que o Senhor vai trabalhar no bairro. Sabemos sobre o crime e sobre as drogas nessa área. Eu creio que o Senhor quer limpar o bairro e está enviando Seus anjos para cá. Eu acredito que é hora de as pessoas saberem que precisamos dessa ajuda. A polícia não pode fazer tudo. Os vizinhos não podem fazer tudo. Mas em quem você confia? Eu confio no Senhor e ele vai fazer isso”, declarou.
“É sempre bom lembrar que, quando eu oro, o Senhor ouve a minha oração. Sabe, eu não olhei para fora. Estava muito impactado… fiquei surpreso com aquela forte luz! Eu só pensava ‘cara, isso deve ser a presença do Senhor’. No final eu disse apenas: ‘O Senhor me surpreendeu novamente’”, resumiu o pastor Charles Shelton.
Assista a reportagem da CBS:

Autoflagelo: fiéis da seita do reverendo Moon ateiam fogo em si mesmos

Autoflagelo: fiéis da seita do reverendo Moon ateiam fogo em si mesmosMembros da Igreja da Unificação, fundada pelo falecido reverendo Moon, atearam fogo em si mesmos na Coreia do Sul.
O ato de autoflagelo foi realizado por três integrantes da seita na última quinta-feira, 22 de agosto, dias antes do aniversário de morte do reverendo Sun Myung Moon.
De acordo com a agência de notícias Yonhap, as duas mulheres e um homem estavam num centro da seita localizado em Gapyeong, a leste da capital Seul, quando atearam fogo nos próprios corpos.
Os três fiéis da Igreja da Unificação sofreram queimaduras graves, e dois deles permanecem com estado de saúde considerado delicado. O motivo da tentativa de suicídio não foi explicado.
Os três sofreram queimaduras graves e dois deles estão em estado grave, acrescentou.
O reverendo Moon morreu aos 92 anos no dia 3 de setembro de 2012, e sua seita é seguida por fiéis em diversos países, incluindo Estados Unidos e Brasil.

Padre engravida jovem de sua paróquia e anuncia renúncia ao ministério para assumir paternidade

Padre engravida jovem de sua paróquia e anuncia renúncia ao ministério para assumir paternidadeO celibato é uma exigência da Igreja Católica para que seus ministros exerçam o sacerdócio, e para muitos estudiosos da história do catolicismo, esse é um dos motivos que leva à homossexualidade e pedofilia dentro da denominação.
Entretanto, o celibato não foi suficiente para evitar que um padre do interior da Bahia abandonasse sua vocação para viver um romance com uma fiel. Gerônimo Moreira, 32 anos, engravidou uma jovem da comunidade onde servia e anunciou que deixará suas funções para assumir a paternidade.
A história foi revelada pelo padre da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Gavião, na missa do último domingo, 25 de agosto.
Gerônimo disse que as coisas saíram do controle: “Com o tempo fui observando que na nossa amizade tinha algo a mais: o amor, mas sempre procuramos deixá-lo só no nível da amizade, pois dizia que, se por acaso eu percebesse que não conseguiria manter o celibato, deixaria antes o ministério para não escandalizar a comunidade. Mas por ironia do destino não aconteceu como eu pensava e nos envolvemos concretamente e hoje ela está grávida e eu quero assumir a paternidade”, disse.
O padre exercia a função desde 2009, após ter passado por seis anos de estudos intensos sobre teologia e filosofia, e disse que o desejo pelo sacerdócio vinha desde a infância: “Minha família é religiosa, desde os 7 anos dizia que queria ser padre. Aos 13, 14 anos, comecei a namorar e parei de falar que queria ser padre, mas aos 20 anos terminei o segundo grau e resolvi que tinha que decidir o que faria e fui para o seminário em 2002″, relatou Gerônimo.
Em seu discurso de despedida, o padre revelou que entrou em crise quando se deu conta de que o sentimento pela jovem era maior que a amizade: “Quando aconteceu o primeiro beijo, a gente falava que aquilo não deveria ter acontecido. Ela ficava preocupada, ficamos assim alguns dias, mas não conseguíamos conter a vontade de ficar junto”, declarou. “Ninguém desconfiou, e se desconfiavam, não falavam. Somente nós dois sabíamos”.
O romance cresceu e virou uma gravidez, motivo que forçou o padre a tomar uma decisão: ou assumiria a paternidade, ou manteria seu sacerdócio escondendo o filho: “A gente precisava assumir. De imediato resolvi assumir. Nós conversávamos muito com medo da reação das pessoas, não queríamos ser motivo de escândalo para a comunidade. O pai dela disse que pela nossa amizade tinha medo que isso acontecesse, mas, como assumi, a família dela encarou com mais tranquilidade”, afirmou Gerônimo.
Para o futuro, Gerônimo planeja um reinício profissional, a fim de manter sua nova família: “Por enquanto trabalho como pedreiro, porque só tenho formação geral em filosofia, que não é reconhecida. Vou tentar faculdade na área de engenharia pelo conhecimento que já tenho na área de construção civil”, disse ao G1, adiantando que pretende pedir autorização para celebrar seu casamento na igreja: “Vou fazer um pedido formal para casar. O bispo ficou de se informar sobre os procedimentos. Acho que o padre precisa fazer uma carta pedindo dispensa para casar na Igreja. Geralmente os papas liberam”.
Gerônimo diz ainda que nada mudou em sua fé: “Só não vou servir como padre, mas vamos continuar ajudando como for possível”, concluiu.

Ateu cria site que apresenta lista de versículos supostamente contraditórios na Bíblia Sagrada

Ateu cria site que apresenta lista de versículos supostamente contraditórios na Bíblia SagradaA Bíblia é um conjunto de livros escritos ao longo dos anos, por diferentes autores, e encarada pelos cristãos como a revelação da Palavra de Deus aos homens.
No entanto, entre ateus e adeptos de religiões não cristãs, há quem enxergue na Bíblia Sagrada um livro repleto de contradições. São passagens que se comparadas entre si sem a perspectiva da interpretação proporcionada pelo Espírito Santo, mostrariam incoerências e até versões diferentes para um mesmo fato.
Um programador de softwares criou anos atrás um programa que reuniria todas as referências bíblicas com ligações entre si. O programa identificou 63.779 passagens bíblicas que interagem com outras, seja no Velho ou no Novo Testamento. Apesar da abrangência, o trabalho de Chris Harrison não teve grande repercussão pela dificuldade em consultá-lo.
Então, esse projeto foi alvo de estudos e o designer gráfico Andy Marlow produziu uma segunda versão, reduzindo o número de ligações iniciais apenas às referências que mostrariam contradições bíblicas, segundo o site ateu Patheos.
Marlow listou todas as referências encontradas por ele e que seriam contraditórias, usando o modelo de arco desenvolvido inicialmente por Harrison.
Agora, outro programador se debruçou sobre o trabalho de Marlow e criou um site chamado BibViz (abreviação das palavras Bible Visualization, que em português significa “visualização da Bíblia) onde os interessados podem consultar passagens bíblicas que, em tese, falariam sobre crueldade, violência, discriminação contra homossexuais, absurdos científicos, imprecisões históricas, ou discriminação contra mulheres.
“Alguns membros da minha família são extremamente religiosos, e depois de algumas discussões com eles e alguns amigos eu estava inspirado para procurar contradições e usei os trabalhos anteriores como uma referência, mas achei que seria bom ter algo sem as entradas duplicadas , com a capacidade de clicar em links individuais, e algo que pode ser consertado facilmente se erros forem encontrados”, disse Daniel G. Taylor, ativista ateu e autor do BibViz.
Imagem que mostra quantidade de versículos vistos como contraditórios pelos ateus na Bíblia
Imagem que mostra quantidade de versículos vistos como contraditórios pelos ateus na Bíblia

Movimento evangélico é um dos maiores perigos para a sociedade brasileira, diz reverendo anglicano

É comum encontrarmos na internet ofensas contra evangélicos dizendo que esses religiosos são “analfabetos funcionais”, “ignorantes” e “fanáticos”. Palavras usadas geralmente por grupos anti-religião que usam a rede mundial de computadores para espalhar seus preconceitos, muitas vezes dizendo que os preconceituosos sãos os próprios evangélicos.
Mas dessa vez essas ofensas estão sendo ditas por um reverendo da Igreja Anglicana que escreveu um artigo para o portal Campo Grande News criticando a Marcha para Jesus que aconteceu na cidade na última segunda-feira (26).
O reverendo Carlos Eduardo Calvani diz que o “movimento evangélico hoje é um dos maiores perigosos para a sociedade brasileira” por conta do que ele chama de fundamentalismo evangélico apoiado por “analfabetos funcionais, que pouco leem”.
A crítica se dá sobre a participação do pastor Silas Malafaia no evento. Por ter grande influência na política nacional, o pastor assembleiano é considerado por Calvani como “fundamentalista” e idealizador de um projeto para a tomada de poder.
“Os evangélicos têm um projeto de tomada de poder na sociedade brasileira. Os evangélicos têm um projeto político muito perigoso para o Brasil”, diz ele citando a Comissão de Direitos Humanos que, por manobras políticas do PT foi dada ao PSC.
Ao falar sobre os políticos evangélicos, o reverendo anglicano diz que a bancada religiosa “é a mais inútil do Congresso Nacional” e que tem como objetivo acabar com todas as manifestações de outras religiões.
“Viveremos um ‘talibã evangélico’, com homens com o mesmo olhar raivoso de malafaia, e gays internados em campos de concentração para que sejam ‘curados’”, exagera o reverendo querendo voltar a citar o polêmico projeto de João Campos (PSDB-GO) intitulado erroneamente de “cura gay”.
O artigo foi escrito em resposta a um trecho da mensagem de Silas Malafaia que durante a Marcha para Jesus profetizou que os evangélicos terão cada vez mais espaço nos meios de comunicação, internet e política.
Leia na íntegra:
Campo Grande não merecia, na comemoração dos seus 114 anos de emancipação, o desprazer de assistir a tal “Marcha para Jesus” organizada por pastores-políticos e políticos-pastores reunindo cerca de 40 mil fanáticos para ouvir o “mais do mesmo” – as bobagens retrógradas de Silas Malafaia, Robson Rodovalho e outros.
O movimento evangélico hoje é um dos maiores perigos para a sociedade brasileira e o Estado Laico por seu potencial fundamentalista Malafaia, Feliciano, Rodovalho, Macedo, R.R. Soares e outros nomes menores que estão despontando (e outros que ainda despontarão) são a pior espécie de fanatismo religioso possível. A única diferença entre esse grupo e o fundamentalismo islâmico está nos referenciais religiosos nos quais se apóiam.
É certo que a grande maioria dos muçulmanos não é fundamentalista; mas os poucos que alcançam o poder cometem barbaridades em nome de sua fé. O fundamentalismo evangélico caminha pelo mesmo rumo. Alguém em são consciência e com um mínimo de instrução ou sensibilidade consegue acreditar neles e em seus discursos? Somente os analfabetos funcionais, que pouco lêem (aliás, sequer a Bíblia lêem, ou lêem com olhares medievais) os apóiam.
Não nos iludamos. Os evangélicos têm um projeto de tomada de poder na sociedade brasileira. Os evangélicos têm um projeto político muito perigoso para o Brasil. Utilizam as Escrituras Sagradas do modo como lhes convém, para interferir na Comissão de Direitos Humanos, para propor ou alterar leis e infringir descaradamente as cláusulas pétreas da Constituição Federal. Eles se infiltram nos partidos e conseguem ser eleitos para cargos no executivo e no legislativo.
Mas eles não têm fidelidade partidária nem princípios sociais claros. São mesquinhos e egoístas. Seus princípios são os da promiscuidade “igreja-estado”. A bancada evangélica é, comprovadamente, a mais inútil do Congresso Nacional.
No fundo, seu projeto é acabar com as manifestações religiosas com as quais não compartilham, sejam elas católico-romanas, espíritas, do candomblé, umbanda ou de qualquer outra religião que não a deles; desejam interferir na orientação sexual privada das pessoas “em nome de Deus”; fazem acusações levianas de que o movimento LGBT deseja acabar com as famílias; querem dominar o Ensino Religioso nas Escolas Públicas e, se conseguirem tomar o poder, não hesitarão em se infiltrar nas forças armadas utilizando o potencial bélico brasileiro para seus objetivos.
Sim, matarão se for preciso, invocando textos bíblicos, o “Deus guerreiro” do Antigo Testamento e seus exércitos sanguinários; sim, destruirão o “Cristo Redentor” e qualquer outro monumento de outra religião; sim, se tiverem pleno poder proibirão o carnaval, festas juninas, romarias marianas, terreiros de candomblé e exigirão conversão forçada a seu modelo de vida e à sua religião; o fundamentalismo que os inflama não terá qualquer restrição em proibir shows populares, biquínis nas praias e utilizarão armas químicas para fazer valer seus ideais. Viveremos um “talibã evangélico”, com homens com o mesmo olhar raivoso de malafaia, e gays internados em campos de concentração para que sejam “curados”.
Alguns dirão que estou exagerando. Porém, Malafaia disse ao microfone: “Nós declaramos que vamos tomar posse dos meios de comunicação, das redes de internet, do processo político, nós vamos fazer a diferença, vamos influenciar o Brasil com o evangelho de Jesus”.
Se permitimos que seu projeto vá à frante, preparem as burcas. Nosso futuro será sombrio.
(*) Reverendo Carlos Eduardo Calvani é da Igreja Anglicana no Brasil

Ciencia

Ciencia