Igreja tem de "corresponder" ao mundo digital "sem tempo nem espaço"

A Igreja tem de se actualizar nas redes sociais, afirma o vigário-geral da diocese do Porto. O alerta foi deixado nas jornadas das comunicações sociais, esta quinta-feira, em Fátima.
Para o padre Américo Aguiar, há que corresponder às expectativas de quem está sempre online.

“O mundo digital acontece 24 horas por dia, está permanentemente online e nós temos os nossos hábitos, os nossos horários, mas o cibernauta não obedece a essa organização do tempo. Por isso, ainda maior exigência para todos aqueles que têm responsabilidade da gestão da presença nas redes sociais digitais da parte da Igreja, para tentar corresponder a esse mundo que não tem tempo nem espaço”, afirma o vigário-geral da diocese do Porto.
Por outro lado, a Igreja tem de produzir conteúdos que suscitem nos cibernautas o desejo do encontro com Deus, disse o padre Luís Rodrigues, da diocese de Braga.
Outra preocupação deve ser a sinceridade, alerta Fernando Cassola, docente da Universidade de Aveiro.
Para Fernando Ilharco, professor da Universidade Católica, tem de contrastar com o que se tornou habitual: “Quando nós comunicamos e falamos da esperança, da amizade, da alegria, da tranquilidade, temos seguramente sempre audiência e não é a maior parte das mensagens que andam”, frisa.
Os desafios do digital nas jornadas das comunicações sociais vão continuar em discussão até sexta-feira, em Fátima, com mais de duas centenas de pessoas ligadas a esta área.

Comentários

Mensagens populares