Lendas da Lagoa Escura e Lagoa Comprida na Serra da Estrela


Lagoa Escura
Com este post, pretendo convidar-vos a visitar duas das mais emblemáticas lagoas da Serra da Estrela, a Lagoa Comprida e a Lagoa Escura, conhecer um pouco da sua envolvência e algumas lendas a elas associadas.
Sendo a mais conhecida das lagoas da Serra da Estrela, a Lagoa Comprida é um ponto de passagem obrigatório no acesso à Torre por Seia. Trata-se de um antigo glaciar com 1 Km de extensão no qual existe hoje em dia uma barragem, barragem essa cujo ínicio da construção data de 1912.
Serra da Estrela - Lagoa Comprida
Lagoa Comprida
Mais escondida e a sul da Lagoa Comprida, encontra-se a Lagoa Escura, lagoa de água muito fria e cujo nome advém da tonalidade que lhe é conferida pelos contrafortes graníticos.
Várias são as lendas associadas à Serra da Estrela em geral e a estas lagoas em particular. Reza, por exemplo, a história local que em tempos idos eram frequentes vários acidentes e afogamentos na Lagoa Escura. Esta história está na origem de uma lenda segundo a qual existiria uma mão gigante que puxava as pessoas para dentro da Lagoa. Posso no entanto garantir que, apesar da água fria, se pode nadar nesta lagoa, devendo, como é natural, manter os habituais cuidados de segurança.
Também associada à Lagoa Escura, existe a Lenda do Mouro Encantado segundo a qual vivia nesta lagoa um mouro que habitava um castelo encantado que era guardado por um gato selvagem. Para quebrar o encantamento era necessário pronunciar quatro palavras mágicas que dariam acesso a inúmeras riquezas.
Associada a ambas as lagoas existe também uma outra antiga lenda, conhecida como a Lenda do Olho Marinho. Reza esta lenda que quando havia uma tempestade no mar o nível de água de ambas as lagoas subia e descia como as marés e que era frequente aparecerem aqui destroços de navios. Sabe-se hoje em dia que a variação do nível das águas se devia ao degelo e que os supostos destroços navios eram troços de zimbro, uma planta muito frequente na zona, que eram arrastados como consequência do degelo.
Aliás, mitos e lendas como estes apenas começaram a ser desmistificados com a "Expedição Scientífica à Serra da Estrella" em 1881.
Na encosta entre ambas as lagoas e visíveis ao logo do percurso encontram-se vários filões de quartzo onde nos anos 40 e 50 se fazia a extracção de Volfrâmio e Estanho. Ainda hoje se podem encontrar os vestígios dessa exploração. Ao longo do percurso proposto irá encontrar também pequenos lagos ou charcos de origem glaciar, bastante comuns na Serra da Estrela.

Para realizar a cache não é preciso pronunciar as quatro palavras mágicas. Existem várias alternativas para chegar à cache, existindo inclusive um percurso sinalizado que passa por ambas. Eu proponho uma das alternativas, que implica a realização de pelo menos parte do percurso. Sendo assim, proponho que estacione perto da Lagoa Comprida em N 40º 21.613' W 007º 39.226'. A partir daqui pode explorar as imediações da Lagoa Comprida e a respectiva barragem. Como ponto de referência para o ínicio do percurso propriamente dito sugiro o ponto N 40º 21.511' W 007º 39.105', junto a uma grande rocha. A partir daqui, o percurso até à Lagoa Escura é assinalado por pequenos montes de pedras e dura cerca de uma hora. Volto a referir que esta é apenas uma das alternativas.
Após encontrar o final e explorar a Lagoa Escura, tem duas opções para efectuar o percurso de volta: voltar para trás, fazendo novamente a mesma parte do trilho pedestre, ou seguir em frente, explorando o que falta do trilho pedestre e contornando toda a Lagoa Comprida, sendo que a segunda alternativa é mais longa. Espero que gostem do passeio.

Comentários

Mensagens populares