Pesquisadores usam software capaz de encontrar diferenças nos textos da Bíblia e afirmam que o livro foi escrito por diversos autores

Pesquisadores usam software capaz de encontrar diferenças nos textos da Bíblia e afirmam que o livro foi escrito por diversos autoresPesquisadores israelenses desenvolveram um programa de computador para identificar, através de análises textuais, as diferenças de escrita nos livros da Bíblia e da Torá, e assim, enumerar quantos foram os autores que trabalharam na composição dos textos sagrados de duas das principais religiões monoteístas do mundo.
Os pesquisadores ressaltam que os estudos feitos até hoje determinam a divisão dos textos em duas principais vertentes, que seriam a “sacerdotal”, de autoria de um indivíduo ou grupo com ligações com o Templo de Jerusalém, e a “não-sacerdotal”, que vem sendo alvo de estudos que visam determinar a distinção de autores dessa vertente.
Segundo informações do jornal O Globo, o programa de computador dos pesquisadores israelenses analisou o Pentateuco e encontrou, em 90% dos casos, a mesma separação feita pelos especialistas ao longo do tempo.
A conclusão a que se chegou foi que o programa recriou, em alguns minutos, o trabalho de séculos de diversos especialistas, segundo o líder dos pesquisadores israelenses, professor Moshe Koppel, que leciona ciências da computação na Universidade de Bar Ilan. “Desde então, fomos capazes de recapitular vários séculos de um difícil trabalho manual com nosso método automático”, diz trecho do relatório dos pesquisadores
Os trechos da Bíblia em que há divergência entre a análise do programa e os estudos feitos por especialistas ao longo do tempo podem indicar um novo campo de estudo para os pesquisadores.
O principal exemplo é o livro do Gênesis. Os estudiosos sempre creditaram sua autoria á vertente “sacerdotal”, mas o programa de computador discorda, indicando que o primeiro capítulo do livro teria sido escrito por autores diferentes dos outros capítulos do mesmo livro e dos demais livros do Pentateuco.
O mesmo acontece com o livro de Isaías, em que os estudiosos acreditam que a autoria é dividida entre duas pessoas diferentes, sendo que o segundo escritor teria sido responsável pelos textos a partir do capítulo 39. Já o programa, apesar de concordar com a tese de que o livro foi escrito por dois autores, indica que o segundo escritor teria assumido a partir do capítulo 33.
Michale Segal, chefe do Departamento de Bíblia da Universidade Hebraica, acredita que as diferenças detectadas pelo programa “têm o potencial de gerar discussões frutíferas entre os estudiosos”, pois o software demonstra ter a habilidade de usar os critérios dos estudiosos de forma mais eficaz que a mente humana.
Uma das provas exibidas pelos pesquisadores foi um teste criado por eles mesmos para o programa. Foram inseridos textos misturados de Ezequiel e Jeremias, e o software separou “quase perfeitamente” o conteúdo da mistura em dois textos distintos.
No entanto, os pesquisadores israelenses deixam claro que seu trabalho não visa determinar se a autoria intelectual da Bíblia é humana ou divina, e ressaltam que a detecção de diferentes estilos de composição não significa que os textos sejam uma fraude: “Para aqueles que é uma questão de fé que o Pentateuco não é uma composição de múltiplos escritores, a distinção investigada aqui pode ser vista como uma multiplicidade de estilos. Nenhuma pesquisa será capaz de resolver essa questão”.

Comentários

Mensagens populares