Matar em nome de Deus é grande sacrilégio, diz Papa Francisco

O líder da Igreja Católica esteve na Albânia em sua quarta viagem internacional
Matar em nome de Deus é grande sacrilégio, diz Papa FranciscoMatar em nome de Deus é grande sacrilégio, diz papa
O papa Francisco condenou quem mata “em nome de Deus”, uma forte crítica aos extremistas muçulmanos. Francisco estava neste domingo (21) na Albânia onde ministrou uma missa para cerca de 250 mil pessoas, segundo o Vaticano.
“Ninguém pode usar o nome de Deus para cometer violência. Matar em nome de Deus é um grande sacrilégio. Discriminar em nome de Deus é desumano. Ninguém pode pensar em usar Deus como escudo enquanto planeja e executa atos de violência e de sofrimento”, disse.
Bergoglio falou sobre a tolerância entre as religiões e diferenças e citou a si próprio como exemplo de convivência pacífica dizendo que a “religião autêntica é fonte de paz e não de violência”.
Diante dos fiéis, Francisco disse que estava “muito feliz” por estar na Albânia, “terra de heróis que sacrificaram a vida pela independência do país” e “terra de mártires que testemunharam sua fé em tempos difíceis de perseguição”.
Falando especificamente com os jovens, o líder católico pediu para que eles saibam dizer não a idolatria, ao dinheiro e para a falsa liberdade individualista e que digam sim para a cultura do encontro e da solidariedade.
No final da missa ele defendeu a “pacífica e frutuosa convivência entre pessoas e comunidades pertencentes às religiões diversas é possível e praticável e um bem inestimável para a paz e para o desenvolvimento harmonioso de um povo”.
Na Albânia a maioria da população é muçulmana e havia temores de que soldados do Estado Islâmico estivessem presentes na missa com o objetivo de matar o Papa, já que ele vem recebendo ameaças desse grupo. No país apenas 15% da população é católica. Com informações Exame.

Comentários

Mensagens populares