expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Seguidores

sábado, 30 de maio de 2015

Jovens invocam espírito em jogo de perguntas idêntico ao Ouija

Jovens invocam espírito em jogo de perguntas
Uma nova brincadeira tem se espalhado pelas redes sociais. Jovens invocam demónios para responder dúvidas comuns e compartilham as respostas com os amigos.
O assustador do jogo de inspiração no tabuleiro Ouija, tem levado os jovens de todo o mundo a alegar ter comunicado com o mundo sobrenatural e assustador .
Quem tem mais de 20 anos vai se lembrar da brincadeira do compasso onde um espírito era invocado para dar respostas em uma folha de papel, podendo falar sobre inúmeros temas respondendo sim ou não ou apontando para números. "Ouija, jogo do copo ou da moeda tudo o mesmo..."
Outro jogo semelhante que levantou muitos debates no Brasil, Portugal e no mundo é a brincadeira do copo, onde um espírito também dava respostas como Sim, Não, Sair e a apontava para os números de 0 a 9 e para as letras do alfabeto que eram registadas num tabuleiro.
Agora a moda é invocar o demônio “Charles” cruzando dois lápis e escrevendo na folha não, sim, sim e não. Ao invocar o espírito e fazer a pergunta o lápis se move e dá a resposta que o jogador está pedindo.
O jogo ganhou adeptos em diversas partes do mundo e um vídeo postado no Youtube mostra vídeos publicados em redes sociais revelando os resultados das perguntas e a reacção dos participantes.
Até crianças brincam com o espírito e muitas se assustam e saem correndo ao verem os lápis se movendo. Outras pessoas encaram como uma piada e brincam sobre jogar e provocar este demónio.
Esse tipo de brincadeira sempre gerou debates,  se existe mesmo algum espírito que pode se mover nesses jogos? Há explicação física para que esses objectos se movam? 
Assista:
Se você já teve alguma experiência com essas brincadeiras escreva nos comentários.
PS: NÃO TENTE REPETIR ISSO  EM CASA... PODE ABRIR PORTAIS A SERES DESCONHECIDOS O BLOG SÓ DESEJA PASSAR INFORMAÇÃO NADA MAIS...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário...

Ciencia

Ciencia