expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Seguidores

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

As Meninas Que Viam Fadas!

Eis uma história interessante: em Julho de 1917, duas meninas, chamadas Frances e Elsie, que viviam em Cottingley, Inglaterra, clamaram terem conseguido tirar fotografias de fadas verdadeiras, no jardim de casa. A princípio, o pai das meninas não quis acreditar, mas ao ver as fotografias, ficou impressionado. Até o famoso Arthur Conan Doyle, criador das histórias do não menos famoso Sherlock Holmes, acreditou piamente nestas meninas, divulgando as fotografias e confirmando que eram verdadeiras. 
As imagens das meninas de Cottingley correram o mundo e muitos crentes passaram a visitar a vila regurlamente, na esperança de conseguir ver as pequenas fadas. Desde essa altura se fizeram testes nas fotografias, de modo a verificar se eram realmente verdadeiras ou se se tratavam de imagens falsas, mas os resultados eram sempre inconclusivos. Além disso, as meninas Frances e Elsie, que entretanto cresceram, mas continuaram a aparecer em várias fotografias, na companhia das suas fadas amigas, sempre confirmaram a veracidade das suas histórias, inclusive em cartas que escreviam às amigas. Portanto, aqui estava uma descoberta fantástica. As fadas existiam e deixavam-se fotografar pelas meninas de Cottingley! 


Quando as primeiras revistas da altura começaram a divulgar esta história, rapidamente esgotaram nas bancas, e embora a maior parte das pessoas elogiasse Arthur Conan Doyle por esta descoberta, alguns ridicularizaram-no e chegaram a questionar a sua sanidade mental. 


No entanto, o público em geral pedia para ver mais fotografias e Conan Doyle respondeu aos pedidos. Durante anos foram aparecendo várias fotografias das moças de Cottingley com as fadas. Mas tempos mais tarde, quando outros fotógrafos chegaram à vila inglesa, tentando dismistificar as notícias, provou-se que as imagens tiradas pelas raparigas eram falsas e que, de facto, as fadas não existiam. Porém, apesar de Frances e Elsie terem admitido que as fotografias tinham sido falsificadas, sempre disseram, até falecerem, que as viam e conversavam com elas. 


A reputação de Conan Doyle ficou manchada até ao dia da sua morte, mas ele nunca, nunca deixou de acreditar nas fadas!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Fenômenos Misteriosos


A ciência tem permitido curar doenças, explicar muitas coisas sobre o mundo, a vida e os seres humanos. Mas, a ciência não pode explicar tudo que nos rodeia. Os cientistas nunca poderão saber exatamente como começou o universo ou ajudar a resolver questões da fé. Assim como em questões do mundo paranormal. Ainda que a ciência possa explicar muitos fenômenos estranhos, alguns mistérios continuam sem solução. Talvez, alguns destes fenômenos serão um dia plenamente compreendidos, assim como muitas coisas que há poucos séculos eram completamente desconhecidas e inexplicáveis (como causas de doenças) e agora são de conhecimento público.
1-AConexãoCorpo/Mente
Segundo Chaplin, a mente pode ser entendida como  os processos de percepção, pensamento, recordação e comportamento inteligente. A ciência médica está apenas começando a compreender como a mente afeta o corpo. O efeito placebo, por exemplo, revela que às vezes as pessoas podem sentir alívio dos sintomas de doenças tomando uma pseudo-medicação ou seguindo uma terapia, pois só de pensar que lhes tenham sido prescritos algo já se gera efeitos ao corpo. A capacidade do corpo de se curar é muito mais surpreendente do que qualquer coisa que a medicina moderna pode criar.
Além disso, há entre o corpo e a mente elementos que até hoje não foram desvendados, por exemplo, será que sua consciência é verdadeira? Ou tudo mora na glândula pineal deonde vem todos nossos anseios? Se as coisas estão onde os seus efeitos se originam. Logo, o pensamento vem do cérebro, que é a origem do comportamento. CONTRADIÇÃO? Se a mente fosse completamente externa ao corpo físico, seria difícil entender como seus atributos se associam com propriedades do cérebro físico; Devemos buscar respostas mais profundas nas estruturas materiais físicas e reais que constituem o cérebro.
2-Poderespsíquicoseapercepçãoextra-sensorial
Os poderes psíquicos e de percepção extra-sensorial estão entre os dez maiores fenômenos inexplicáveis desta lista simplesmente porque que os cientistas não têm sido capazes de explicar porque é que há pessoas que dizem “sim” e levá-las realmente tê-las. Há pesquisadores tentando provar que há pessoas que afirmam ter poderes psíquicos, embora os resultados científicos em condições controladas até agora têm sido negativos ou ambíguos. Alguns argumentam que os poderes psíquicos não podem ser testados ao menos que sejam na presença de pessoas céticas. Se assim for, será muito difícil para a ciência para ser capaz de provar ou refutar a existência de poderes psíquicos.
3-Experiênciaspróximasdamorteouavidadepoisdamorte
Algumas pessoas que chegaram perto da morte, por vezes, relatam experiências místicas diversas (como entrar num túnel e caminhar até uma luz, reunir-se com seus entes queridos, um sentimento de paz, etc) que pode sugerir uma existência mais além do túmulo. Embora estas experiências sejam profundas, não retorna como uma prova ou informação verificável “para além do túmulo.”  Os céticos sugerem que as experiências são explicáveis como uma natural e previsível alucinação de um cérebro traumatizado por aquilo que aconteceu, mas não há nenhuma maneira de saber ao certo se isso realmente acontecer perto de ser a morte ou se são realmente visões do “outro lado”.

4-Dejavu
Deja vu é uma expressão francesa que significa “já visto”, referindo-se à intrigante e misteriosa sensação de ter experimentado um conjunto específico de circunstâncias de que já foi se vivenciou aquilo antes. Uma pessoa pode entrar um edifício, por exemplo, em um país estrangeiro que não tinha visitado antes e preocupantemente sentir uma sensação de familiaridade. Alguns atribuem o Deja Vu psíquico a experiências de vidas anteriores, mas o fenômeno em si continua um mistério. Há uma vertente que diz que é possível que a sensação seja disparada por ação neuroquimica no cérebro não estando ligada a nenhuma experiência do passado. Sente-se estranho e associa a sensação com já ter experimentado isso antes, mesmo se a experiência é completamente nova. Ou seja, déjà vu pode não envolver um falso reconhecimento de algo que já se viu antes. A sensação de déjà vu é comum entre pacientes psiquiátricos. Também precede ataques de epilepsia do lóbulo temporal. E, em 1955, quando Wilder Penfield fez a sua famosa experiência na qual estimulava eletricamente lóbulos temporais, encontrou um bom numero de experiências de déjà vu.
5-Fantasmas
A aparição de fantasmas faz parte da nossa cultura e folclore de muitos séculos. Muitas pessoas têm relatado aparições vendo estranhas sombras ou seus entes queridos já mortos. Embora a definitiva prova da existência de fantasmas permaneça evasiva, ainda há testemunhas que relataram vendo, fotografando, e até mesmo comunicando-se com os fantasmas. Alguns estudiosos têm a esperança de que um dia poderão provar que os mortos podem entrar em contato vida e de fornecer uma resposta definitiva para o mistério.

6-Intuição
Há quem a chama do “sexto sentido”, mas em alguma ocasião todos já experimentaram a intuição em um momento ou outro. Este conceito de “intuição” é, convencionalmente erróneo. Alguns psicólogos optam afirmar que no subconscientemente há informações ocultas sobre o mundo que nos rodeia, nos conduzindo, aparentemente, a determinadas informações que sequer sabemos exatamente o que é. Mas, o porquê de uma pessoa ser capaz de ter uma intuição que se cumpre é um grande mistério que ainda não foi resolvido.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Os Maias nunca disseram que haveria uma grande tragédia ou o fim do mundo em 2012

Vários cientistas de todo o mundo reuniram-se em Palenque, no Estado de Chiapas, no sul do México, local arqueológico maia, para discutir a profecia daquela antiga civilização, que previa o fim do mundo em 2012.
Segundo os especialistas, a teoria teve origem no monumento número seis do local arqueológico de Tortuguero e num ladrilho com hieróglifos localizado em Comalcalco, ambos localizados em Tabasco, no sudoeste do país.
O monumento número seis, noticia a «BBC», faz alusão a um evento místico que ocorrerá a 21 de Dezembro de 2012, durante o solstício de Inverno, quando «Bahlam Ajaw», um antigo governante daquele lugar, se encontra com «Bolon Yokte», um deus na mitologia maia.
Todas as mensagens maias gravadas em «estelas» (monumentos líticos feitos num único bloco de pedra) foram interpretadas, até agora, como uma profecia sobre o fim do mundo.
No entanto, de acordo com o Instituto Nacional de Antropologia e História («Inah»), na data anunciada, os maias esperavam simplesmente o regresso de «Bolon Yokte¿».
«(Os maias) nunca disseram que haveria uma grande tragédia ou o fim do mundo em 2012», afirmou o pesquisador Rodrigo Liendo, do Instituto de Pesquisas Antropológicas da Universidade Autónoma do México, acrescentando que «essa visão apocalíptica» é algo que caracteriza os ocidentais. «Não é uma filosofia dos maias.»
Durante o encontro, o investigador Sven Gronemeyer, da Universidade australiana de Trobe, e a sua colega Bárbara Macleod, fizeram uma nova interpretação do 6º monumento de Tortuguero.
Assim sendo, os hieróglifos inscritos na «estela» referem-se à culminação dos 13 «baktunes», os ciclos com que os maias mediam o tempo. Cada um deles era composto por 400 anos.
«A medição do tempo dos maias era muito completa», explicou Gronemeyer. «Eles faziam referência a eventos no futuro e no passado, e há datas que são projectadas para centenas, milhares de anos no futuro».
Já para a jornalista Laura Castellanos, autora do livro «2012, Las Profecias del Fin del Mundo», o sucesso da teoria dos maias junto à cultura ocidental deve-se a uma «onda milenarista», que «antecipa catástrofes ou outros acontecimentos cada vez que se completam dez séculos».
Para Castellanos, as profecias sobre o fim do mundo em 2012 não têm apenas uma «vertente catastrófica», mas também uma linha que «antevê o despertar da consciência e o renascimento de uma nova humanidade, mais equitativa».
A explicação científica e histórica desta teoria vai também de encontro com a crença popular no México.
A população mais crente tem procurado adquirir conhecimentos necessários de como sobreviver com o seu próprio cultivo de alimentos em caso de catástrofe mundial.
A verdade é que o «fim do mundo» é motivo de negócio. O Governo mexicano lançou uma campanha para promover o turismo no sudoeste do país, onde estão os monumentos arqueológicos maias.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Extra -O Museu das Almas do Purgatório 2ªParte

 A irmã Tereza Margarida Gesta, nascida em Bastia, Córsega, em 1797, depois de ter vestido o hábito, no convento das Terciárias Franciscanas, em Folligno, morreu no dia 4 de novembro de 1859, elevada à responsabilidade de Madre Superiora. Eis o relatório que a seu respeito dá a abadessa Maria Vitória Constante Vichi: Tres dias depois de sua morte, ouviram-se lamenatos no quarto em que ela morreu e nas peças vizinhas.

No dia 16 de novembro, ás 10 da manhã, a irmã Ana Felícia Menghini subia a escada que conduzia à lavanderia para realizar seu trabalho; ouviu, então, um lamento abafado e supôs reconhecer a voz de sua antiga companheira. Entrando na lavanderia, abriu diversos compartimentos, enquanto as lamentações da defunta continuavam e, sob o império da emoção, ela não conseguia compreender o seu verdadeiro sentido.

 De repente, o cômodo se encheu de uma densa fumaça e a alma da falecida se dirigiu a um dos armários, junto à escada, Chegando à porta, ela disse, em voz alta: É uma misericórdia! Eu não volto mais e em sinal disto... Nesse momento, ela bateu na porta um golpe bem nítido; em seguida, a fumaça desapareceu. As irmãs, reunidas no aposento da Abadessa, ouviram a narrativa da irmã Menghini examinar a porta onde se encontrava gravada a mão da defunta, de maneira tão perfeita que não a teria feito um artista, mesmo o mais hábil, se servindo de uma mão de ferro encandecida.

 A marca que se vê na foto acima faz parte de uma série de aparições do padre Panzini, que foi abade em Mântova, Itália. Dizem os registros do Museu das Almas do Purgatório que o padre Panzini apareceu em 1731, no mosteiro de San Francisco, em Todi. Teria sido visto pela madre superiora, a venerável Isabela Fornari: “A marca foi deixada numa pequena mesa de madeira sobre a qual estava colocado um pano, que era na verdade a manga da camisa do hábito”, conta Clóvis. “Ele deixou impressa em queimadura, pela irradiação da luz de sua mão, e também apareceram marcas de sangue”.


 O JULGAMENTO 1****Um outro pesquisador interessado em fenômenos desta natureza descobriu um dos casos mais curiosos. Sob uma placa de vidro colocada para protegê-la, vê-se uma mão estampada em fogo. Está numa mesa que deve ter pertencido ao Palácio de Justiça, em Lublin (maior cidade do leste polonês e a capital da voivodia). A mão é excepcionalmente grande, não mostra sinais de falanges e dá a impressão de ser esquematizada. Segundo a lenda, houve naquela cidade um litígio entre uma viúva pobre e um rico magnata. Este reclamou para si os bens da viúva e, tendo subornado os juízes, ganhou a causa. A viúva, desesperada por perder tudo que possuía, levantou a mão em direção a um crucifixo pendurado na parede e gritou: "Se Satanás tivesse proferido a sentença, ela teria sido mais justa." Em seguida, ....

 O JULGAMENTO 2****.... os que estavam presentes viram alguns juízes de estranha aparência entrando no salão. Suas perucas eram negras, com dois pequenos chifres. Atemorizado o secretário tornou a convocar a sessão e o advogado do diabo, com uma exposição curta e sóbria, deu uma explicação quanto aos direitos da viúva à fortuna de seu falecido esposo. Em vista das provas apresentadas, o tribunal deu causa ganha à viúva - sentença bem mais justa que a anterior.
Foi só no dia após o julgamento que o escrivão notou que, na mesa do Tribunal; havia a impressão de uma mão descomunalmente grande, ainda hoje visível.

Museu das almas do purgatorio 
Reportagem do Fantástico sobre o Museu das almas do purgatorio, mantido pela Igreja Católica e até então desconhecido da maioria dos fiéis, padres e bispos do mundo.
http://video.google.com/videoplay?docid=-8978181803097085866

Por agora é tudo, espero tenham gostado  e já gaora se não for pedir muito façam uma oraçaocinha pelas almas do Purgatório...Almas agradecem

Extra -O Museu das Almas do Purgatório 1ªParte

    É provável que você nunca tenha ouvido falar no Museu das Almas do Purgatório. Mesmo entre os católicos é praticamente desconhecido. Ele guarda registros do que seriam aparições de pessoas mortas. Pessoas que teriam voltado do além ou do purgatório para pedir orações e avisar de que existe um Purgatório ou Inferno como queira.

    Na doutrina católica, o purgatório é um estado de espera. Um lugar de almas em purificação. Um sofrimento que só terá fim com a chegada ao paraíso. 

    Na Divina Comédia, uma das maiores obras poéticas de todos os tempos, o purgatório imaginado por Dante Alighieri é uma montanha muito alta, cercada de terraços, onde as almas se purificam dos pecados cometidos na Terra. 

    Foi na Idade Média que o purgatório viveu o auge da fama na imaginação dos cristãos. Hoje, fala-se pouco dele. O céu e o inferno desfrutam de maior prestígio nos sermões católicos.

Numa igreja de Roma, um museu misterioso contém relíquias que seriam um testemunho da comunicação de almas do purgatório. A igreja não permite que nenhuma imagem seja gravada, mas um pesquisador de parapsicologia, o brasileiro Clóvis Nunes, entrou no Museu das Almas do Purgatório e conseguiu filmar as peças: “Este museu está reservado à Igreja. Para nós termos acesso a ele, precisei contar com o apoio de uma autoridade eclesiástica, em Roma, da Igreja Católica Brasileira”, conta.

    Clóvis entrou na Igreja do Sagrado Coração do Sufrágio. Sufrágio significa ato de piedade, oração pelos mortos. A igreja pertence aos missionários do Sagrado Coração, ordem católica fundada pelo padre francês Jules Chevalier, em 1854.

    Numa pequena sala, ao lado da sacristia, estão guardadas as relíquias: os antigos missionários do Sagrado Coração acreditavam que elas eram provas da comunicação entre vivos e mortos.

“A Igreja acredita que seja possível uma comunicação entre este mundo e o outro mundo. A Igreja tem convicção de que esta comunicação existe. A Igreja se sente peregrina, porque vive na terra e possui uma pátria no céu”, diz Sandro Register. (POR UMA PERMISSÃO ESPECIAL DE DEUS, AS ALMAS DO PURGATÓRIO PODEM ...

 O Museu das Almas do Purgatório foi criado pela Igreja no começo do século passado pelo padre Victory Juet, que pertencia à Ordem do Sagrado Coração de Jesus, fundada em 1854 pelo padre Chevalier, com a finalidade de proferir missa e orações em sufrágio das almas em sofrimento.

A maioria das peças que compõem o Museu das Almas se referem à aparição de padres, freiras e fiéis, ocorridas em ambiente católico: igrejas, conventos, quartos de oração. DETALHE DA FRENTE DA IGREJA DO "SACRO CUORE DEL SUFFRAGIO"

Quem fundou a Igreja do Sagrado Coração do Sufrágio foi o missionário francês Vitor Jouet. Ele queria que o templo fosse dedicado às almas dos mortos. No dia 15 de novembro de 1893, houve um incêndio ao lado do altar. O fogo deixou uma marca no mármore: nela, os fiéis enxergaram o rosto atormentado de um homem. Padre Jouet acreditou que aquilo era um sinal, como se uma alma do purgatório estivesse suplicando por ajuda.
....o fogo deixou uma marca no mármore: nela, os fiéis enxergaram o rosto atormentado de um homem. Padre Jouet acreditou que aquilo era um sinal, como se uma alma do purgatório estivesse suplicando por ajuda.



Depois desse episódio, o padre Jouet viajou por conventos na Itália, França, Bélgica e Alemanha, coletando objetos que comprovassem a manifestação dos mortos. Na volta, criou o Museu Cristão do Além-Túmulo, que mais tarde passaria a se chamar Museu das Almas do Purgatório. Tinha cerca de 200 peças, mas só restaram hoje as que foram aprovadas pelos sucessores do padre Jouet, aquelas consideradas autênticas acima de qualquer dúvida.







  Pode-se acreditar na autenticidade do Museu das Almas do Purgatório? O Vaticano não quer dar uma opinião oficial sobre a autenticidade das relíquias, mas as peças que estão no museu impressionaram vários especialistas da Igreja.

Uma das peças mais impressionantes mostra o que seria a mão de uma freira - morta em 1637 - impressa como se fosse a fogo, no hábito, uma espécie de avental, de uma outra freira. Segundo os registros do museu, a irmã Clara Schoelers apareceu no mosteiro beneditino de Winnenberg, na Alemanha, em 1696 -- quase 60 anos depois de sua morte -- e deixou a marca no hábito da freira Margarida Maria Herendorps: “Ela chegou envolvida em luz, e para a irmã não ter dúvida de que não era um sonho, ela deixou impressa no avental que estava pendurado no cabide a marca de sua mão queimada com fogo”

 Na noite de 21 de junho de 1789, na Bélgica, Giuseppe Leleux foi acordado pela visão da mãe, morta 27 anos antes. A mãe teria deixado uma marca impressa na roupa de dormir do filho e pedido que o rapaz mudasse de vida e se convertesse à Igreja. Depois da aparição, Giuseppe fundou uma congregação católica.







A MÃO IMPRESSA DA FALECIDA SOGRA DE MARGARITA DEMERLÊ, ALEMANHA (FAZIA ENTÃO 30 ANOS DE SUA MORTE DE PARTO)CIMÉLIO ENQUADRADO DA PEÇA PRODUZIDA PELA A MÃO IMPRESSA DA FALECIDA SOGRA DE MARGARITA DEMERLÊ, ALEMANHA (FAZIA ENTÃO 30 ANOS DE SUA MORTE DE PARTO) : “Ela foi até o livro, abriu, e ali imprimiu as marcas de fogo de sua mão. E o que é curioso, é que ela abriu o livro na parte final do capítulo IV. As marcas ficaram sobre o seguinte texto: “Estou carregado de pecados, combatido de tentações, e não há quem me valha, não há quem me livre e salve senão tu, Senhor”, recita Clóvis.


Lorena, Alemanha, 21 de dezembro de 1838. Giuseppe Schitz aparece diante do irmão e pede orações, porque está sofrendo no purgatório. Marcas dos dedos de Giuseppe foram deixadas num livro de orações do irmão: “A marca do dedo atravessou nove páginas com a queimadura. Ela chegou a fazer uma perfuração”, conta o pesquisador.



LIVROS RELIGIOSOS 1***** Outra prova que deveria constar do acervo do Museu do Purgatório, como hoje é conhecido, encontra-se na Baixa Baviera, em poder da família Hackenberg. É um pequeno livro de orações do século 18. Tem 10 centímetros de comprimento por 6cm de largura. Está bem conservado, apesar de ter servido como "prova de fogo" para um caso semelhante ao de Margarette. Nas páginas 12 e 13 observa-se a impressão de duas mãozinhas. Distinguem-se os cinco dedos, a pequena palma e parte do pulso. Um detalhe interessante é que os dedos dão a impressão de serem descarnados, ou seja, mãos de um esqueleto minúsculo.

Miragem de cidade fantasma aparece na China

Imagine o susto dos moradores de uma localidade chinesa que, de repente, viram surgir uma miragem gigante de uma 'cidade fantasma' com torres e vegetação ao longo do rio Xin'an em Huanshan City no leste da China. A aparição surgiu no início do mês de junho após chuvas fortes e condições máximas de umidade do ar.

Na foto, você pode ver prédios altos, montanhas e árvores que parecem levantar-se através da névoa fantasmagórica que havia descido sobre o rio ao entardecer num local onde normalmente as pessoas só vêem a linha do horizonte.

Alguns moradores ficaram tão impressionados com a visão que chegaram a dizer que a cidade estaria submersa e que talvez pertença a uma possível civilização que fora perdida no tempo. Mas alguns especialistas, não acreditando em lendas e aparições fantasmagóricas, logo trataram de dar sua interpretação científica para o fenômeno.

Eles acreditam que a visão pode ter sido uma miragem - uma forma de ilusão comum em clima úmido. O fenômeno é causado quando a umidade do ar fica mais quente do que a temperatura da água, projetando imagens no ar. Normalmente, a miragem é tipicamente turva e brilhante, semelhante a uma reflexão vista na água.

Tudo bem que a ciência tem sempre explicação para tudo, mas a tal miragem chinesa impressiona como se fosse verdadeiramente "do outro mundo", não é mesmo? Confira mais fotos abaixo! 
 
 

Video de Anjo caindo na Indonesia -roda na web

  Video de Anjo caindo na Indonesia No dia 11 de setembro de 2011, um vídeo intrigante surgiu na web. Nele podemos ver um estacionamento de um Shopping Center pouco iluminado. De repente, uma luz desce do céu e "bate" no chão, voando logo em seguida.

As imagens são impressionantes e, de acordo com os vários jornais e blogs que publicaram o vídeo, várias pessoas teriam afirmado que houve um enorme barulho no momento da queda do ser alado.
  
Logo em seguida outro vídeo foi divulgado na web. Dessa vez, seria a "continuação" da história mostrando alguns jovens correndo em direção ao local onde o anjo supostamente caiu... Moradores da região enviaram fotos do local do impacto do anjo. A calçada toda quebrada é a prova física do enorme impacto que o tal ser sofreu.

Mas, e agora? Verdadeiro ou Falso?

Os Anjos fazem parte da crença de várias religiões e culturas no mundo todo há milênios. Muçulmanos, católicos, protestantes, espíritas... Cada cultura vê – á sua maneira – esses seres celestiais que dão uma "ajudinha" ao Deus maior de cada religião ou crença.

Ao aceitar que o vídeo é real alguns o colocam na categoria de milagre. Outros, já afirmam que isso seria coisa do Diábo, pois, de acordo com a bíblia, o Anjo que caiu do céu (porque foi expulso de lá!) foi um conhecido por Lúcifer.

Seria mais um Lúcifer? Ou seria um milagre?

Assistindo aos vídeos, algumas dúvidas vêm à mente:

- Um Anjo daria esse "espetáculo" de cair bem na frente de uma câmera de Vigilancia?
2 - Um Anjo, sendo um ser não físico, conseguiria parar bem na altura do nosso chão?  Não passaria direto?
3 - Sendo o Anjo de outra dimensão ou de outra constituição física – diferente das dos seres humanos -, seria possível fazer tamanho estrago no chão?
4 - Se o Anjo tem massa para estragar uma calçada de cimento, não teria se machucado na queda?
5 - Por que o usuário que postou o vídeo criou essa conta só para divulgar apenas esse vídeo?
6 - Por que o segundo vídeo – que mostra os jovens correndo em direção ao incidente – foi postado um dia antes do vídeo feito pelas câmeras de segurança?
  Tirem vossas conclusoes...  Pois eu nao credito em bruxas, mas que elas existem, existem...

Ciencia

Ciencia